Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 15 de abril de 2019

"4 Estações, 1000 Combinações" de Margarida Vieira

Há livros que chamam por nós. Ponto. Este foi um deles. 

Já tenho referido aqui, acho eu, que tenho mudado a minha alimentação. Aos poucos, porque quero que seja para sempre e, sobretudo, porque para mim as alterações bruscas não se mantêm muito tempo na minha vida. É preciso criar hábitos e isso demora tempo. As minhas escolhas foram conscientes, apoiada em quem se dedica a estudar estes assuntos (aka Gabriel Mateus/ Eat and Care) e muitos workshops e cursos de culinária (por ex. o Curso Anual de Culinária Macrobiótica do Inst. Macrobiótico de Portugal). E muitos livros, claro. 

Não tenho tido problemas com as escolhas que faço nem tampouco dificuldades maiores porque não sou radical. Se não houver prato vegetariano, escolho um prato de peixe ou, até, carne. Mas durante a maior parte dos dias da semana, opto por pratos onde os legumes, frutas e cereais integrais estão presentes. Levo de casa. É a minha escolha, aquela que faz mais sentido para mim. 

Mas vamos falar sobre este livro. Li rapidamente a Introdução, a 1ª e a 3ª partes. A autora, nutricionista, foca a sua atenção em vários aspectos dos quais retive os que achei mais importantes:

1- A distribuição dos alimentos no prato: 50% de legumes e vegetais. É isso que tenho de passar a fazer. 

2- Verificar se os alimentos têm frituras. Não exceder 2x/ semana. Check!

3- Comer 3 porções de fruta por dia. Check! Às vezes como mais.

4- Dar preferência aos frutos e legumes da época. Check! Devo, no entanto, estar mais atenta a este aspecto.  Sobretudo, priveligiar os produtos biológicos (não li nada sobre isso aqui!)

5- A autora defende que «Não há superalimentos: há combinações poderosas de alimentos". Estou de acordo. Mas creio que a denominação "superalimentos" foi criada para sublinhar alguns alimentos não muito conhecidos (raizes, algas) que possuem propriedades que não devem ser menosprezadas e são uma mais-valia se os introduzirmos na nossa alimentação. Como exemplo refiro a curcuma e a pimenta preta (a piperina e a curcumina são anti-inflamatórias e em conjunto, uma potencia a outra). 

A segunda parte deste livro, é para ser lida com cuidado. Passei os olhos por ela, claro, mas quero sublinhar e fazer uma leitura mais atenta. A autora elaborou uma lista de frutos e vegetais para serem consumidos maioritariamente nas estações respectivas, nas estações do ano onde eles se encontram repletos de sabor. Fala deles detalhadamente, das suas propriedades. Fiquei de olho na alcachofra. Acho que nunca comi...

Este não é um livro de receitas. Como diz Margarida Vieira, e bem, basta ir à net "googlar". É um livro onde se pode aprender a transformar um prato que não é saudável, e combiná-lo para que se transforme numa refeição saudável. Dá o exemplo do Bacalhau à Gomes de Sá, da Pizza e outros. A primeira coisa a fazer é colocar 50% de legumes e vegetais no prato. Faz sentido para vocês? Uma boa forma de moderar os excessos, não?

Um livro importante a acrescentar à minha estante. Recomendo.

Sinopse
O segredo de uma alimentação saudável está na diversidade nutricional.

Este guia dá-lhe a conhecer 50 alimentos imprescindíveis e ensina-o a fazer incontáveis associações entre eles.

Os alimentos não produzem um efeito isolado: agem em conjunto quando ingeridos na mesma refeição. Saber combinar os diferentes tipos de alimentos passa por um princípio básico - nenhum alimento deve ser posto de parte, a menos que haja uma intolerância ou uma alergia alimentar. E tão importante como os alimentos que comemos é a maneira como os combinamos.

O objetivo deste livro é dar a conhecer os alimentos típicos de cada estação, para que os possa incluir, de forma consciente, na sua alimentação diária. Com mais conhecimento, as escolhas que fazemos podem melhorar bastante a forma como vivemos.

A seleção dos 50 frutos e vegetais que este livro apresenta ensinará o leitor a fazer milhares de combinações, mesmo à medida das quatro estações.

«Não há superalimentos: há combinações poderosas de alimentos. Tal como não há super-heróis, mas equipas com estratégias e soluções vencedoras. Esta na hora de escolher a sua equipa, usar a criatividade e experimentar 1000 combinações de alimentos para fazer refeições completas.»

Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário