Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 22 de março de 2012

Novidades Bertrand


História (Mesmo) Breve de Quase Tudo
de Bill Bryson
Neste livro, uma edição para os mais pequenos do seu êxito Breve História de Quase Tudo, Bryson responde de forma divertida, simples, verdadeira e original a questões como:
- O que aconteceu aos Dinossauros?
- De que tamanho é o Universo?
- Quanto pesa a Terra?
- Porque são os oceanos salgados?
- Vai cair-nos um meteorito em cima?
Numa linguagem clara e acessível, ensina os mistérios do Tempo e do Espaço e de quase tudo o que aconteceu e acontece no nosso planeta. Para escrever este livro, conheceu diversos cientistas bizarros, teorias loucas e importantes descobertas da Ciência.


Romance da Raposa
de Aquilino Ribeiro
A versão ilustrada de um dos mais emblemáticos livros infantis portugueses: Romance da Raposa, de Aquilino Ribeiro. Com ilustrações do francês Benjamin Rabier, um dos pioneiros da ilustração em França, conhecido sobretudo pelos seus desenhos de animais.
«As aventuras maravilhosas da Salta-Pocinhas – raposeta pintalegreta, senhora de muita treta» 




A Imperfeição do Presépio
de António Manuel Marques
A narrativa de vida de uma mulher vulgar, mas única, que nos guia pela pequena História portuguesa do século XX, através das memórias coletivas acerca do interior rural e da migração para uma capital que, aos poucos, alargou os seus limites para espaços menos urbanizados, como o bairro de Benfica.
Do discurso intimista e reflexivo da protagonista, constrói-se um olhar feminino sobre os universos conjugal, familiar e do trabalho, recorrendo também a publicações da época e, sobretudo, aos saberes de figuras reais com quem se cruzou.

3 comentários:

  1. Esta forma de escrita não me fez lembrar nenhum autor que já tenha lido. É inesperado, cativante e, do ponto de visa humano, é um retrato muito fiel do país que tivémos e ainda temos. Também me tocou muito confirmar como um escritor-homem pode, afinal, ter esta capacidade para nos mostrar o mundo pelo olhar de uma mulher. Recomendo vivamente.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo,
    fiquei curiosa ao ler o que escreveste. Fica anotado!

    ResponderEliminar
  3. uma capa apelativa em que a cor predominantemente sépia nos leva para o tempo dos papéis e das fotografias dos anos 30 a 70 do século passado, período em que decorre a ação.
    as fotografias são o ponto de partida/chegada do texto e, por isso, não teria usado as folhas caídas dos plátanos que ocupam a maior parte da área superior da capa.
    As fotografias usadas não são prduzidas em ateliê mas, sendo elas a base na qual assenta o texto, que pena que a imagem do autor não tenha visibilidade.
    O formato do livro é excelente: é mesmo um pequeno livro de bolso, clássico.É urgente lê-lo.

    ResponderEliminar