Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 16 de outubro de 2011

Ao Domingo com... Eduardo P. Coelho

"O meu nome é Eduardo Pires Coelho e nasci em Lisboa, cerca de dois meses depois da “Revolução dos Cravos”. Sou analista financeiro de acções desde 1997 e trabalho diariamente com números, modelos matemáticos e relatórios e contas, à procura de boas ideias de investimento. Para além disso, tenho que viajar constantemente de modo a visitar as empresas no terreno, assistir a conferências e ter reuniões com investidores.

Ao longo dos últimos dez anos viajei pelo mundo e visitei mais de quarenta países em quatro continentes. Em todos eles, conheci pessoas e culturas muito diferentes e deparei-me com pequenas histórias que me fascinaram e me deram inspiração. Ao longo do tempo, fui-me habituando a tomar pequenas notas e apontamentos para mais tarde recordar o que vi e senti. Fico sempre comovido quando encontro vestígios portugueses pelo mundo, especialmente nos locais mais distantes... A estátua do Bartolomeu Dias em Cape Town, os apelidos e as histórias dos portugueses em Kandy, no Sri Lanka, o Medan Portugis em Malaca, os fortes e igrejas da ilha de Moçambique, os naufrágios e lendas ao longo da costa sul-africana, o imenso Brasil...

Sempre fui apaixonado pela escrita e sinto uma atracção imensa por romancear episódios históricos pouco conhecidos e perdidos no tempo. “O Segredo da Flor do Mar” é um bom exemplo disso mesmo. Poucas pessoas em Portugal têm a plena consciência de que os despojos marinhos mais valiosos do mundo são de um navio português, que naufragou no outro lado do mundo (Estreito de Malaca!). O navio era comandado pelo próprio Almirante D. Afonso de Albuquerque e naufragou numa noite de Dezembro, à saida do Estreito de Malaca. A própria história da cidade portuguesa de Malaca não é inteiramente conhecida, principalmente no periodo da monarquia dual, quando os Sultanatos de Johor e do Achém cercavam sistematicamente a cidade e, mais tarde, quando chegaram os Holandeses... A descoberta desta faceta pouco conhecida da nossa História fascinou-me e levou-me a escrever “O Segredo da Flor do Mar”...

Continuo em busca de tempo para escrever e faço-o sempre com gosto e paixão! Quase toda a minha escrita tem uma forte componente histórica, com uma ligação ao mundo actual e acontecimentos recentes. Há matéria prima abundante nos quatros cantos do mundo! A nossa História é muito rica e está pulverizada em pequenas histórias... Cada uma mais interessante do que a outra..."

Eduardo Pires Coelho
www.facebook.com/EduardoPiresCoelho

Gostei muito deste livro. A minha opinião aqui.
Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário