Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A convidada escolhe: A mulher do tigre

Sabia já que a Fernanda estava a adorar este livro pois falou-me, por diversas vezes, do seu encanto para com ele. Aqui está a sua opinião, que partilho com vocês e que subscrevo também. A minha opinião aqui.

"Já tinha lido algumas opiniões acerca deste livro, sobretudo em revistas, e, como tal, esperava encontrar um bom livro, um livro do género de que gosto. Não me desiludiu.

“A Mulher do Tigre” é, sem dúvida, um dos melhores livros que já li. Um livro a reler, um livro a que regressarei, como quem regressa a um destino de viagem.

Téa Obreht mostra-nos o outro lado da guerra, como o ser humano se adapta a viver em guerra… quando vejo imagens de zonas de conflito e vejo a vida a decorrer “normalmente” interrogo-me sempre sobre como tal é possível. Este livro mostra-nos esse outro lado.

Num conflito dos nossos dias, que recordamos com horror, uma guerra fratricida… motivada por razões religiosas… ou não… “A Mulher do Tigre” transporta-nos através do Séc. XX na região dos Balcãs, vislumbramos a II Guerra, a mais recente Guerra dos Balcãs, nos anos 90, e o pós-guerra com todas as suas contradições… famílias divididas por fronteiras… retaliações por questões religiosas familiares… e a omnipresença do Marechal tantos anos após a sua morte…

O aflorar da História sem o rigor histórico, que não se pretende, o aflorar da religião, sem qualquer alinhamento… locais ficcionados, mas que reconhecemos pela geografia da guerra…

E todo o mistério que envolve esta região, uma mística própria, rica, muito rica.

A surpresa de observar também, nos confins desta região, algumas características da mística Celta, como a importância do 7º filho… e personagens tão extraordinárias quanto fascinantes, como o “homem sem morte” e a “mulher do tigre”… ontem como hoje, nos Balcãs como em qualquer outro lugar, crer faz parte da roda da vida. A história do magarefe, a história do boticário, a história de Darisa, o Urso, os homens da vinha… tudo se entrelaça.

Narrada por Natália, esta é, de facto, a história do seu avô, médico como ela, imunes, diriam, a crenças, mas será mesmo assim?

Natália, empenhada numa missão humanitária no pós-guerra, recebe a notícia da morte do avô. Começa, então, a recordar as histórias que ele lhe contava na infância.

Uma história em que se entretecem várias narrativas com uma mestria extraordinária. Passado e presente, mito e realidade, encanto e choque vão levar-nos numa viagem inesquecível através dos Balcãs.

Fiquei com vontade de ler “O Livro da Selva”, mas antes… voltar a ler “A Mulher do Tigre”… um livro imperdível sobre uma região encantada!

Um livro 5*"

Fernanda Palmeira

2 comentários:

  1. Está à espera na estante. Fernanda obrigada pela opinião, será o próximo a ler.

    ResponderEliminar
  2. Fantástica opinião Fernanda Palmeira!
    Parabéns!

    ResponderEliminar