Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Marina


Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 264
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896571191

Carlos Ruiz Zafón é um contador de histórias excepcional,ponto!
Envolve-nos nas personagens e nos seus mistérios de tal forma que sentimos as emoções à flor da pele, partilhando com essas personagens os sentimentos por elas vividos.

É um livro bem contado e bem escrito que nos leva a passear, ao mesmo tempo, por uma Barcelona real e por um mundo fictício, quase surreal, onde o suspense, o mistério envolve todas as personagens do princípio ao fim. As personagens e nós, o que, a meu ver, torna este livro espectacular. 

Durante todo o enredo ficamos surpreendidos com esta imaginação prodigiosa de C.R.Z. Seres angelicais cruzam-se com seres cruéis, quase zombis. Não aprecio muito histórias do outro mundo, como lhes chamo, e só por isso não dou 5*, mas reconheço que vale a pena ler este livro, escrito de uma forma que prende imediatamente o leitor.

Terminado em 10  de Novembro de 2010

Estrelas: 4*+

Sinopse

«Por qualquer estranha razão, sentimo-nos mais próximos de algumas das nossas criaturas sem sabermos explicar muito bem o porquê. De entre todos os livros que publiquei desde que comecei neste estranho ofício de romancista, lá por 1992, Marina é um dos meus favoritos.» «À medida que avançava na escrita, tudo naquela história começou a ter sabor a despedida e, quando a terminei, tive a impressão de que qualquer coisa dentro de mim, qualquer coisa que ainda hoje não sei muito bem o que era, mas de que sinto falta dia a dia, ficou ali para sempre.» Carlos Ruiz Zafón «Marina disse-me uma vez que apenas recordamos o que nunca aconteceu. Passaria uma eternidade antes que compreendesse aquelas palavras. Mas mais vale começar pelo princípio, que neste caso é o fim.» «Em Maio de 1980 desapareci do mundo durante uma semana. No espaço de sete dias e sete noites, ninguém soube do meu paradeiro.» «Não sabia então que oceano do tempo mais tarde ou mais cedo nos devolve as recordações que nele enterramos. Quinze anos mais tarde, a memória daquele dia voltou até mim. Vi aquele rapaz a vaguear por entre as brumas da estação de Francia e o nome de Marina tornou-se de novo incandescente como uma ferida fresca. «Todos temos um segredo fechado à chave nas águas-furtadas da alma. Este é o meu.»

4 comentários:

  1. Olá olá
    Também gostei imenso desse livro. Li-o em espanhol e foi uma experiencia muito gira. Sabes que este é um livro para um público mais juvenil? é o último dos livros juvenis do CRZ antes dos romances adultos.
    Podes ler aqui a minha opinião:
    http://ler-por-ai.blogspot.com/2010/09/marina-de-carlos-ruiz-zafon.html
    boas leituras

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito de CRZ. Este livro está na minha lista para ser lido, apesar de também não gostar nada de 'zombies' e afins...mas darei o benefício da dúvida.

    ResponderEliminar
  3. Quero agradecer-lhe a visita e link ao Folhas de Papel. Até breve!

    ResponderEliminar
  4. Todas as obras deste autor me fascinam.
    Aguardo ansiosamente pelo próximo...
    Boas leituras!

    ResponderEliminar