Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 9 de março de 2011

Coisas que nunca aconteceram em Tóquio de Alberto Torres Blandina


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 192
Editor: Livros Quetzal
ISBN: 9789725649299
Coleção: Serpente Emplumada

Acabei de ler este livro e logo pensei: cinco estrelas! Ao ler a sinopse acreditei que seria uma leitura interessante, quiçá divertida. Não me enganei. 

Imaginem vários diálogos protagonizados por uma personagem sui generis, de seu nome Salvador Fuensanta, e vários receptores, os passageiros de um certo aeroporto. Mas imaginem que só têm acesso ao discurso de Salvador.

Este senhor, que caminha a passos largos para a reforma e passa os seus dias varrendo o aeroporto, é, na realidade, um contador de histórias. São essas histórias que vamos tomando conhecimento, pouco a pouco: hilariantes, fantasiosas, trágicas. De tal forma que ficamos, mesmo sem querer, presos nesses labirintos da imaginação, tal a forma como são contadas.

Ao mesmo tempo viajamos, brevemente, por vários países e suas culturas; tomamos conhecimento de vários escritores... Uma leitura que aconselho vivamente para um dia bem disposto.

Terminado em 6 de Março de 2011

Estrelas: 5*

Sinopse

Salvador Fuensanta é empregado de limpeza de um aeroporto e está às portas da reforma. Este lugar tão impessoal - onde trabalha há mais de vinte anos - e os milhares de pessoas desconhecidas que diariamente cruzam o seu posto vão desenvolver nele uma capacidade especial - a de modelar a realidade a seu gosto, recriando histórias e julgando adivinhar as vidas dos passageiros anónimos. Além disso, Fuensanta conhece muito bem as outras pessoas que trabalham no aeroporto: Sara, a camareira; Juana, a livreira; Pau, um artista inconformado que inventa um poeta finlandês para se tornar famoso e se apaixona por uma rapariga que sofre de amnésia em consequência de uma acidente aéreo. 
Assim, este mundo cheio de conversas e histórias soltas, inacabadas, reais, inventadas, que se mesclam a um ritmo alucinante, vai-se transformando num relato de contornos invulgares, em que cada história oculta ou revela uma outra história

1 comentário: