Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Passatempo "História Contemporânea de Portugal" (Fundação MAPFRE)

Para assinalar a entrada do Instituto da Cultura em Portugal, a Fundação MAPFRE, em parceria com a Editora Objectiva, lançaram uma coletânea composta por cinco livros que pretendem enumerar e explicar os principais acontecimentos que marcaram a história de Portugal desde o início do século XIX até ao século XXI.
História Contemporânea de Portugal surge como uma coletânea integrada numa iniciativa cultural de grande dimensão da Fundação MAPFRE, denominada América Latina na História Contemporânea, que apresenta uma reflexão, através da palavra e da imagem, do papel desempenhado pela América Latina nos últimos duzentos anos.

Os volumes agora publicados são os seguintes:


VOLUME I
O COLAPSO DO IMPÉRIO E A REVOLUÇÃO LIBERAL
1808-1834

COORDENAÇÃO DE JORGE M. PEDREIRA E NUNO GONÇALO MONTEIRO
AUTORIA DE JORGE M. PEDREIRA, MIGUEL FIGUEIRA DE FARIA E NUNO GONÇALO MONTEIRO
As invasões francesas; a partida da família real para o Rio de Janeiro; o colapso do antigo regime colonial; o primeiro pronunciamento liberal; a independência do Brasil; as lutas entre liberais e absolutistas; o triunfo final do liberalismo: são estes os episódios que marcam decisivamente o período da história portuguesa aqui estudado (1808-1834). Uma história em boa parte definida pelo contexto externo, pelas transformações que vinham de fora, pelo modo como Portugal participava no sistema de Estados europeu e nos seus conflitos, dilacerada por violentos antagonismos que encontraram na guerra – a internacional e a civil – a sua máxima expressão. A quebra da monarquia pluricontinental constituirá uma profunda mudança na ordem política, económica e mesmo social. Sobre as suas ruínas emergirá um novo regime, mas só após décadas de grandes convulsões. Foi, pois, um tempo de ruturas dramáticas, com repercussão a quase todos os níveis da vida social e política, aquele de que se
ocupa este primeiro volume de uma série pensada com o objetivo de inscrever a história portuguesa nos grandes marcos dos processos contemporâneos atlânticos e ibero-americanos. A ponderação de diversos pontos de vista permite aqui sublinhar os traços mais relevantes e característicos da revolução liberal em Portugal.


VOLUME II
A CONSTRUÇÃO NACIONAL
1834-1890
COORDENAÇÃO DE PEDRO TAVARES DE ALMEIDA
AUTORIA DE JORGE M. PEDREIRA, MIGUEL BANDEIRA JERÓNIMO, PAULO SILVEIRA E SOUSA,
PEDRO TAVARES DE ALMEIDA E RUI BRANCO
Entre 1834 e 1890, Portugal passou por profundas mudanças, com a construção de um Estado-nação moderno e o ressurgimento do projeto imperial africano. O triunfo dos liberais na guerra civil, em 1834, assinala a instauração definitiva do regime monárquico constitucional. Até meio do século, viveu-se, porém, um tempo convulsivo, dominado pela instabilidade e violência políticas. A nova fase que então se abriu, de início designada por «Regeneração», teve como características a negociação e o compromisso, associados a uma dinâmica de modernização socioeconómica, em que o investimento público nas infraestruturas deveria desempenhar um papel fundamental. Este impulso modernizador, que começa a dar sinais de erosão na viragem para a década de 1890, embora tenha introduzido grandes transformações, não permitiu vencer alguns dos pesados atrasos estruturais e culturais do país nem alterar a sua posição periférica no contexto europeu, o que promoveu a disseminação na opinião pública de um forte sentimento de frustração, que a deceção do projeto colonial veio ampliar.


Encontra-se em curso um passatempo na página do Facebook da Fundação MAPFRE, onde poderão ganhar a coleção História Contemporânea de Portugal e 1 Pack Pousadas de Portugal (fim de semana em zonas históricas de Portugal – castelos) - link para o passatempo aqui.


A Fundação MAPFRE é uma instituição sem fins lucrativos criada em 1975, pelo Grupo MAPFRE, o maior grupo segurador espanhol.
O seu principal objetivo é contribuir para o bem-estar da sociedade e das pessoas, participando no pacto Mundial das Nações Unidas (Global Compact) e no Protocolo UNEP (United Nations Environment Programme);
Opera sobretudo em Espanha, Portugal e países da América Latina, e organiza a sua atividade em torno de 5 institutos, com âmbitos distintos: Prevenção, Saúde e Meio Ambiente; Ação Social; Segurança Rodoviária; Ciências do Seguro e Cultura;
Em Portugal atua, desde 2006, através do Instituto de Prevenção, Saúde e Meio Ambiente e do Instituto de Segurança Rodoviária;
Graças ao trabalho desenvolvido, a Fundação MAPFRE é hoje uma entidade de referência social nas suas áreas de atuação, promovendo a visão clara de que a prevenção é o instrumento mais eficaz para reduzir a sinistralidade e construir uma sociedade melhor.
Para mais informações: http://www.mapfre.pt e em https://www.facebook.com/fundacaomapfre



2 comentários: