Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 13 de março de 2011

Um longo reinado


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 336
Editor: Europa-América
ISBN: 9789721061538
Coleção: Grandes Biografias

Não me lembro de ter lido, recentemente, uma biografia e, como tal, não tenho pontos de referência. Achei esta, muito bem elaborada, com uma escrita nada maçadora, (como quase se "espera" de uma biografia!), com uma sequência tal que nos arrasta para a época vitoriana com rapidez e com interesse suficiente para resistirmos  às suas 336 páginas repletas de uma letra minúscula!

Este relato bem conseguido, possui excertos quer de cartas, quer de conteúdos de jornais da época, dando veracidade ao que é transmitido. Ficamos a conhecer a sua infância, um pouco triste e solitária; passando pelo seu casamento, uma escolha por amor e pela morte do seu amado; pelo nascimento dos seus nove filhos, netos e bisnetos, seus casamentos e morte de alguns; por escândalos e caprichos da sociedade... Sociedade onde aconteceram alguns excessos que ainda hoje são conhecidos como, por exemplo, o de "Jack, o estripador" e dos "rapazes dos telegramas" e relacionados com a família real e sobre a qual recaíram algumas suspeitas.

Um livro cheio que traduziu uma vida em cheio!

Quero, por outro lado, salientar que prefiro, sem sombra de dúvida, um bom romance histórico. Gostos, que não se explicam e só se sentem...

Terminado em 11 de Março de 2011

Estrelas: 3*+

Sinopse



O reinado da Rainha Vitória, um dos mais longos da história (1837-1901), marcou o apogeu do império britânico e o domínio do Reino Unido, a primeira potência mundial. 


Coroada rainha aos 18 anos, Vitória impõe-se rapidamente, apesar da sua juventude e falta de experiência. Casa-se por amor com um primo alemão (de quem terá nove filhos), não seguindo os conselhos da sua mãe que se opunha a esta união. 

Conhecida pela sua energia e autoritarismo, Vitória respeitava o regime parlamentar não deixando nunca de manifestar as suas opiniões e preferências. No entanto, apesar da sua imponência e austeridade não ficou imune aos rumores de relações amorosas, um dos temas preferidos da alta sociedade, uma classe social que estava em declínio e que ela tanto menosprezava. 

Idolatrada pelo seu povo é uma figura ímpar e incontornável que contribuiu enormemente para o corolário da monarquia.


1 comentário:

  1. Obrigado por seguir meu cantinho...
    Gostei daqui...

    Beijos na Alma..
    >>>DAni

    ResponderEliminar