Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sexta-feira, 8 de junho de 2018

"Uma Pequena Sorte" de Claudia Piñeiro

Gostei de tudo neste livro: a escrita da autora, sóbria e emotiva ao mesmo tempo; a caracterizaçāo forte da personagem principal, Marilé ou Mary, com os seus dramas e conflitos internos; o tema tratado, a forma como um acaso pode destruir a vida de alguém e como a decisāo que se toma face a esse acontecimento pode condicionar para sempre o futuro.

Gostei da envolvência crescente que nos toma aos poucos o coraçāo e que cresce desmedidamente até à lagrima final, gostei de visualizar na perfeiçāo os personagens e os sítios e de sentir os dramas vividos por Marilé e Frederico. Gostei de ter estado lá! É isso que procuro num livro e que este livro, com suavidade e sempre num crescendo, me fez sentir. 

Marilé abandonou o seu filho quando este tinha apenas seis anos. Por razōes fortes ou foi um acto leviano, egoísta? Que motivo te faria abandonar uma criança? Deveu-se a falta de amor ou, pelo contrário, a um amor maior?

Uma pequena grande sorte ter tido a oportunidade de ler esta obra e ela ter-me escolhido como leitora!

Terminado em 4 de Junho de 2018

Estrelas: 6*

Sinopse
Uma mulher regressa à Argentina vinte anos depois de a ter deixado para fugir de uma tragédia. Mas aquela que regressa é outra: já não tem a mesma aparência e a sua voz é diferente. Nem tem sequer o mesmo nome. Será que aqueles que a conheceram em tempos a vão reconhecer? Será que ele a vai reconhecer?

Mary Lohan, Marilé Lauría ou María Elena Pujol – a mulher que ela é, a mulher que foi e a mulher que terá sido –, volta aos arredores de Buenos Aires, ao subúrbio onde formou uma família e viveu, e onde irá enfrentar os atores do drama que a fez fugir. Ainda não compreende porque aceitou regressar ao passado que se havia proposto esquecer para sempre. Mas à medida que o vai compreendendo, entre encontros esperados e revelações inesperadas, perceberá também que às vezes a vida não é nem destino nem acaso: talvez o seu regresso mais não seja do que um pequeno golpe de sorte… uma pequena sorte.

Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário