Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Borboletas Nocturnas de Karl Manders


Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 314
Editor: Livraria Civilização Editora
ISBN: 9789722624947

Há livros que nos surpreendem pela escrita do seu autor, outros pela sua história. Pela imaginação que neles está contida, pela veracidade de situações que consegue transmitir mesmo sendo uma história que não aconteceu na realidade. 

Foi o caso desta obra. Fiquei cativa logo na sinopse mas não esperava que a meio do livro tivesse vontade de o "devorar" pois queria saber o seu desfecho rapidamente.

São-nos contadas duas histórias, que decorrem paralelamente no tempo. A de um pai, que ao querer testemunhar os horrores praticados nos campos de concentração de Auschwitz, já no final da guerra, vê-se preso e condenado, injustamente, pelo exército russo, e vai parar a um campo de trabalhos forçados - os  terríveis Gulag. Na outra história, acompanhamos o crescimento do seu filho, na Holanda. Uma história cheia de inocência, imaginação. O contraste entre as duas não poderia ser maior: enquanto numa sustemos a respiração pelos horrores praticados, na outra sorrimos com as descobertas de um jovem, que procura em algo que lhe é intrínseco, a sua vontade de correr, uma motivação: porque sente ele essa necessidade?
Porque corre ele se a vitória numa corrida não lhe trás satisfação?

Não me alongo mais porque não quero contar o melhor que este livro tem: o seu final! Para além da história que achei deliciosa, este livro possui algo que me faz recomendá-lo sem reservas que é a informação verídica que o acompanha e que me fez procurar mais informações sobre temas como os Gulags e as Spartakiadas

Terminado em 5 de Fevereiro de 2012

Estrelas: 5*+

Sinopse

Borboletas Nocturnas conta-nos as histórias paralelas de um pai e de um filho, separados ao longo dos difíceis anos do Pós Segunda Guerra Mundial. O pai, Cornelius, um comerciante holandês, foi libertado de Auschwitz, preso pelo exército russo sob a acusação de espionagem, deportado para Minsk e Moscovo para tocar numa banda de jazz, para depois ser enviado para um Gulag onde encontra o filho que praticamente desconhece. O filho, Dolboy, foi criado por uma tia numa quinta na Holanda, onde passava os dias a correr pelos campos. Um dia a sua corrida levou-o a um castelo habitado por borboletas nocturnas e por uma estranha rapariga que faz a criação destes animais. Original e absorvente, Borboletas Nocturnas é um romance sobre pessoas que são constantemente obrigadas a improvisar na vida, sobre regeneração e coragem para agarrar oportunidades.

Sem comentários:

Enviar um comentário