Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

A convidada escolhe: O livro do amanhã


Fiquei curiosa com a opinião da Vera. Lá vou eu... Assim, a pilha dos "to be read" não vai ter fim!

"Dos livros que li recentemente e tem sido bem menos do que gostaria, um empolgou-me e fez-me desejar esquecer-me de tudo para me refugiar na leitura.

Refiro-me ao “Livro do Amanhã” de Cecelia Ahern, que me tocou com uma estória que mistura fantasia e mística com um tanto de realismo, de atualidade.  

Tamara Godwin de 16 anos, era uma jovem como muitas outras na sociedade atual, que tinha tudo o que o dinheiro pode comprar. Era insolente, sarcástica e prepotente porque esperava tudo e pensava que merecia tudo só porque todas as pessoas que conhecia tinham essas coisas. Vivia no presente e nunca pensava no amanhã. Com o suícidio do pai  e a consequente expropriação de tudo o que tinham, a vida de Tamara e da mãe mergulha no caos. A mãe fica perdida e alienada e recorrem à familia  -o tio Arthur e a tia Rosaleen que as acolhem enquanto se restabelecem. A narrativa de Tamara sobre o seu passado recentemente e como se sentia na sua relação com os pais, com os amigos e com os estudos é uma vislumbre de muito que realmente podemos conhecer no meio que nos rodeia.

O sofrimento da mãe que impossibilitava que se pudessem apoiar mutuamente e a dificuldade em adaptar-se a toda uma situação estranha em familia, levou a muitos acontecimentos e conhecimentos inesperados. Ficção e fantasia numa estória sobre destino e livre arbitrio. Mas, não fica por aqui, porque uma trama familiar com algum mistério e intriga prendeu-me até ao fim num autêntico page-turner.

O modo como é contado e a intensidade dos sentimentos e emoções expressos numa narrativa de opostos é um talento de Cecelia Ahern que espero confirmar.

 Adoro um livro assim."

1 comentário:

  1. Ajudei a escolher a capa deste livrinho! Mas confesso que não senti grande atracção pelo mesmo no entanto a opinião da Vera leva-me a pensar que se calhar devia dar-lhe uma oportunidade!
    Teresa Carvalho

    ResponderEliminar