Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Não consegui!


Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 368
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896371883



Há livros que estão bem escritos. Muito bem escritos! Que têm boas críticas, uma boa história, que julgamos que vamos gostar, logo à partida. Mas, simplesmente, não são o nosso género.


Este é um deles. Tenho pena de não continuar... Li 50 páginas. Só. Mas Fantasia não é mesmo a minha "cara". E lastimo bastante, porque eu queria mesmo ler este. A sinopse apresenta-nos como uma mistura de Fantasia e História. Gostei da forma como está escrito.


Porque será que não aprecio histórias com um quê de irreal? Não tenho paciência... A minha pilha de livros para ler é tão grande que sinto estar a perder tempo.


Mas fica aqui a sugestão para quem gosta deste género literário. Li boas críticas, inclusive na revista "Os meus livros" de Janeiro. 


Estrelas:1*


Não terminado.


Sinopse


Nuno Gonçalves, nascido com um dom quase sobrenatural para a pintura, desvia-se dos ensinamentos do mestre flamengo Jan Van Eyck quando perigosas obsessões tomam conta de si. Ao mesmo tempo, na sequência de uma cruzada falhada contra a cidade de Tânger, o Infante D. Henrique deixa para trás o seu irmão D. Fernando, um acto polémico que dividirá a nobreza e inspirará o regente D. Pedro a conceber uma obra única. E que melhor artista para a pintar que Nuno Gonçalves, estrela emergente no círculo artístico da corte? Mas o pintor louco tem outras intenções, e o quadro que sairá das suas mãos manchadas de sangue irá mudar o futuro de Portugal. Entretecendo História e fantasia, O Evangelho do Enforcado é um romance fantástico sobre a mais enigmática obra de arte portuguesa: os Painéis de São Vicente. É, também, um retrato pungente da cobiça pelo poder e da vida em Lisboa no final da Idade Média. Pleno de descrições vívidas como pinturas, torna-se numa viagem poderosa ao luminoso mundo da arte e aos tenebrosos abismos da alienação, servida por uma riquíssima galeria de personagens.

9 comentários:

  1. Que pena não teres conseguido continuar a ler. O livro é bastante bom e na realidade acho que é mais histórico que fantástico. Mas se não é o teu estilo e não estavas a gostar, não vale a pena insistir. :)

    ResponderEliminar
  2. Olá Cris. Acho que não devias julgar a fantasia apenas por este livro!!!
    Eu gosto muito de fantasia e leio bastante dentro desse género. No entanto, não gostei muito do Evangelho do Enforcado, achei um livro pretensioso e deliberadamente chocante. Apesar de ser impossível deixar de admitir que a escrita é brilhante.
    Gostava que não desistisses da fantasia. Existem outros livros que tenhas lido do género e não tenhas gostado? Podia recomendar-te alguns títulos, se quiseres fazer mais umas tentativas :)

    ResponderEliminar
  3. Cat, agradeço-te. Podes dizer que eu anoto, lol!bjs
    Natacha, se calhar ainda não tinha chegado à parte histórica...nas primeiras 50 pag. não encontrei nada, só mesmo fantasia...
    Obg pela vossa visita!
    cris

    ResponderEliminar
  4. Por vezes mais vale pousar mesmo, e quem sabe talvez numa proxima oportunidade, penso que todos os livros tem o seu momento de ser lidos.
    por acaso tenho curiosidade em relação a este livro de David Soares, pois tenho lido coisas muito boas acerca dele.
    Nuno Chaves

    ResponderEliminar
  5. As referências que tinha eram óptimas, Nuno mas...talvez para a próxima!

    ResponderEliminar
  6. Cris eu não gosto de "fantasia" também, em livros e em filmes.Filmes eu cá não vejo mesmo desse género, tipo o senhor dos aneis, harry potter, etc.
    Nos livros apenas os que têm pouca fantasia é que leio, e apenas quando acontece eu comprar um e não ler a sua sinopse.

    Miguel

    ResponderEliminar
  7. Olá Cris,
    Também não sou muito dada a leitura fantástica. De vez em quando talvez, mas até agora também não senti ser o meu tipo de livro. também li imensas criticas boas a este livro, mas ainda não arrisquei :)

    ResponderEliminar
  8. (só agora voltei a este post *shame*)

    Cris, não sei se já leste Juliet Marillier, mas como leste As Brumas de Avalon e até gostaste, recomendo-te sem reservas a Trilogia Sevenwaters (para começar). É o que considero a mistura perfeita entre romance histórico e fantasia (os meus dois géneros literários favoritos). É a minha autora favorita :)
    No mesmo género, mas num contexto cultural e histórico completamente diferente, recomendo-te a Saga dos Otori de Lian Hearn, num Japão medieval fictício, é delicioso.
    Igualmente, um livro que até está catalogado lá fora como fantasia histórica, tens de ler Os Leões de Al-Rassan, e Guy Gavriel Kay. É simplesmente obrigatório!

    Uma das melhores sagas de fantasia é As Crónicas de Gelo e de Fogo do George R.R. Martin, que também te recomendo sem reservas.
    E voltando a Marion Zimmer Bradley, recomendo-te o meu livro favorito dela, Presságio de Fogo, além dos restantes da Saga de Avalon que li: A Casa da Floresta e A Senhora de Avalon.

    Tenho cá em casa O Nome do Vento e O Homem Pintado, que me garantem serem do melhor que recentemente se publicou em fantasia, mas ainda não li. Ficam estas recomendações.

    Se não gostares, pelo menos, dos Leões de Al-Rassan, de Juliet Marillier e/ou dos Otori, diz-me, que eu como o meu chapéu! :)

    ResponderEliminar
  9. Cat, mto obrigada pelas recomendações...ficam anotadas, Não sei quando mas qq dia arranjo um tempinho p tirar a prova dos nove... bjinhos

    ResponderEliminar