Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 28 de agosto de 2011

A coragem de uma mãe


Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 200
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896570422

Estava "passeando" pelo site da Editorial Planeta quando esta sinopse me chamou a atenção. A capa não revela o seu conteúdo. Parece um daqueles "prémios" que nos davam na escola primária e que nos deixavam tão contentes! Mas o seu conteúdo é inimaginável! 

História verídica, de força e coragem, escrito na 1ª pessoa, faz-nos reflectir sobre os nossos valores e prioridades. Marie-Laure escreve com um grande desprendimento sobre um tema tabu para muitos: a morte, a sua própria morte, ditada por uma doença terminal. E fá-lo com uma força contagiante, com uma determinação e humor que nos impressiona e nos prende não só ao livro, mas também, e sobretudo, à mulher lutadora que, desde o início da sua vida, soube como ultrapassar os terríveis obstáculos que se lhe depararam - e não foram poucos, acreditem! - acabando com esta doença, numa idade em que a morte ainda não estava presente nos seus pensamentos e planos.

Para quem gosta de ler sobre casos reais, este é um livro a não perder!

Terminado em 28 de Agosto de 2011 

Estrelas: 4*

Sinopse

A luta de uma mãe que, condenada a uma morte anunciada, tenta encontrar uma família de acolhimento que possa receber e proteger os seus quatro filhos. A sua história e personalidade transtornaram a França.
Como viver o fim da vida, quando não se atingiu ainda os 40 anos e se é mãe de família? No último Outono, Marie-Laure Picat toma conhecimento que padece de um cancro maligno fulminante. O seu primeiro pensamento dirige-se aos seus filhos: o que lhes acontecerá após a sua morte? Decidida a assumir o papel de mãe até ao fim, escolhe ela própria uma família de acolhimento, estando disposta a enfrentar todos os obstáculos: não, não lhe compete a ela decidir o futuro dos seus filhos, mas sim ao juiz, após a sua morte. Não, nada garante que a Julie, o Thibault, o Mathieu e a Margot serão criados juntos. Não, não irão viver no local em que cresceram.
Indignada com a injustiça da situação, Marie-Laure contacta os meios de comunicação social. É então que se cria um extraordinário movimento de solidariedade, com a imprensa a passar a mensagem: a coragem desta jovem mãe comove o país, o que lhe proporcionará um apoio inesperado.
Foi para deixar uma mensagem que Marie-Laure quis escrever este testemunho, em primeiro lugar para os seus filhos, mas também para mostrar que é necessário dissolver a teia burocrática imposta às famílias decompostas. Para que a sua luta não morra com ela.

2 comentários:

  1. Já tenho o livro...vai ser o próximo a ler...adoro ler livros com factos reais...penso que nos ensinam muito.

    Beijinhos

    ResponderEliminar