Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sábado, 2 de julho de 2011

O tempo que já não viverei de Fabio Volo


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 236
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722345224
Coleção: Grandes Narrativas

Há livros que não deviam terminar! Falta-lhes um pedacinho pequenino, queremos mais... e, talvez por isso mesmo, são muito bons. Este livro é assim. O final deixa lugar para a nossa imaginação, a história completa-se com os nossos pensamentos, as nossas vontades.


Já tinha lido "O dia que faltava" e tinha gostado muito, porque o discurso escrito deste autor prende a nossa atenção. Passeia-se por diferentes espaços temporais e diferentes aspectos da vida do personagem, mas nunca nos deixa confusos: a nossa leitura permanece sempre enquadrada e devidamente situada, com vontade, aliás, de querer saber sempre mais. Os nossos estados de humor variam consoante os da personagem, sentimo-nos solidários com as graças e desgraças que lhe vão acontecendo. 

Fala-nos da análise que é feita por Lorenzo sobre os dois vértices principais da sua vida: o pai (e das relações complicadas que sempre manteve com ele por falta de diálogo da parte dos dois) e de uma ex-namorada, que à custa do seu egoísmo deixou escapar. De como passou de uma infância pobre, cheia de necessidades e dívidas para uma posterior vida de sucesso. De como se devem agarrar as oportunidades no momento certo e saber aproveitar o que a vida nos dá, saber dar valor ao que já temos e que, muitas das vezes, não apreciamos devidamente. Faz-nos reflectir, como gosto!

Fala-nos de livros, também. De vários, que queríamos já ter lido, de como se descobre a leitura e de como ela nos faz viajar, adquirir conhecimentos, abrir imensas portas e alargar os horizontes. De como crescemos com ela!


Recomendo!

Terminado em 1 Julho de 2011

Estrelas: 5*

Sinopse

Esta narrativa conta a história de um homem profundamente dividido entre a infância dominada por uma figura paterna ausente e por um constante sentimento de inadequação. Lorenzo, agora adulto, luta ainda por conquistar o amor do pai e o amor de uma mulher. Enquanto nos narra a sua vida e o porquê de ser como é, Lorenzo vai intercalando alguns capítulos sobre aquela que o deixou há dois anos e cujo nome só conhecemos na última frase do livro. Autor bestseller em Itália, aclamado pela crítica e adorado pelos leitores, assina o presente romance considerado a sua obra mais sentida e genuína. O Tempo que já não Viverei inclui uma dedicatória para os leitores portugueses.

Sem comentários:

Enviar um comentário