Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sábado, 14 de maio de 2011

"Quando O Papá Voltar" de Toni Maguire


Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 256
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892304878
Coleção: Documentos

É sempre angustiante ler um livro que não conta uma história mas sim a História de alguém... E se essa história mais parece um filme de horror e está bem escrita, deixa-nos um travo amargo, os sentidos em alerta.


Para além de bem conseguido, pois ficamos presas à leitura logo nas primeiras páginas, é através da própria autora que ficamos a conhecer o lado das vítimas de violação e maus tratos, muitas das vezes consideradas culpadas e ostracizadas pelas pessoas que lhe estão próximas. Conseguimos perceber porque permanecem junto do agressor, porque se sentem tão inseguras, porque o seu desejo de ser amadas pelos progenitores é muito forte... A submissão é de tal ordem que as impede de reagir e de fugir.


Esta história de vida é marcada pela indiferença da mãe, pela sua passagem num hospital psiquiátrico e seus tratamentos bárbaros, pelas tentativas de se tornar independente, pela sua atracção pelo álcool que a desinibia, e sobretudo, pela sua transformação e luta, deixando a Antoinette e tornando-se Toni Maguire, livre do passado que tanto a atormentou!


Recomendo! O conteúdo é mais forte que a capa, e mais bonito também porque se trata de uma história que se tornou num caso de sucesso. 


Terminado em 11 de Maio de 2011

Estrelas: 4*

Sinopse

A infância de Toni terminou quando ela tinha apenas seis anos e o seu pai lhe roubou a inocência. Já adolescente e após anos de abusos sexuais, ela encontrou por fim a coragem para o enfrentar, conseguindo que fosse condenado à prisão. Toni acreditou então que podia ter uma vida normal. A sua relação com a mãe floresceu, bloqueando por completo as más recordações. Mas, dezoito meses mais tarde, Toni chega a casa e encontra o pai sentado na sala de estar. Foi nesse momento que percebeu que o pesadelo não terminara e que a mãe esperara ansiosamente pelo regresso do marido. 

Sozinha e traumatizada, Toni saiu de casa e mergulhou numa profunda depressão, tendo acabado por ser internada num hospital psiquiátrico. E, quando já ninguém acreditava na sua recuperação, ela começou a melhorar. A sua enorme força de vontade permitiu-lhe começar de novo e, através do seu testemunho, alertar e ajudar todos os que, como ela, são vítimas inocentes das pessoas em quem mais confiam.

Sem comentários:

Enviar um comentário