Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Sentir a vida.


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 287
Editor: Estrela Polar
ISBN: 9789898206695

De vez em quando gosto de ler biografias. E esta surpreendeu-me, não tanto pela forma como está escrita (bem escrita por sinal! ) mas, sobretudo, pela vida do "Padre Zé Fernando". 

Há vidas que tocam e influenciam aquelas que lhe estão mais ou menos perto, tanto pela sua coragem como pela coerência. Gosto de ler, de ficar a conhecer como se pratica o que se apregoa.

Desde a sua infância pobre mas alegre e povoada de liberdade e amor, passando pela sua entrada no seminário da Guarda, pelos seus amores, suas dificuldades e dúvidas vocacionais, mas também, pela inovação nos ritos religiosos, pelo seu amor pelas motas, pelas suas obras nas paróquias onde esteve ligado, sempre presente e empenhado, pela sua doença oncológica que o fez encarar a vida de uma outra perspectiva, pela sua força e pelo amor que dedicava aos outros... toda a sua vida é um hino de caridade e de fé.

Gostei muito de ler e tomar conhecimento de como uma vida pode, efectivamente, ser um acto de amor ao próximo!

Terminado em 13 de Maio de 2011

Estrelas: 4*

Sinopse

O livro é uma autobiografia. O padre José Fernando conseguiu conciliar o seu sacerdócio com o amor pelas motas, e foi o universo muito particular dos motards que, ao acolhê-lo, o retirou do anonimato, transformando-o numa figura de enorme popularidade a nível nacional. O seu carisma tem raízes numa profunda genuinidade, na fidelidade inabalável a si próprio, na capacidade de estar próximo das pessoas, de escutar sem julgar, sem nunca excluir e numa contagiante alegria de viver. "O padre Zé Fernando é o Sol!", dizem dele os "seus" motards. O surgimento de um cancro ("uma derrapagem…"), em 2005, leva-o a fazer um desvio no seu percurso e a questionar-se, mas não à sua fé. Aceitando embora algumas limitações, vive agora um dia de cada vez, quase sem compromissos se não com os amigos, com a sua crença em Deus e na vida.


Sem comentários:

Enviar um comentário