Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sábado, 17 de julho de 2010

Não deu...


Pois! Às vezes é melhor não forçar a leitura... muitas da vezes o livro está bem escrito mas há qualquer coisa na história ou em nós mesmos que faz com que não "pegue", não ficamos "dentro" dela... Ao fim de 30 páginas resolvi desistir. Pode ser que noutra altura, noutro lugar ou noutro momento da vida retome a leitura deste livro. Hoje não!

Leitura não terminada

Estrelas: 1

Sinopse


Já tinha sido um dos finalistas ao Grande Prémio de Ficção da APE, e acaba de receber o Prémio Literário José Saramago, atribuído pela Fundação Círculo de Leitores, um prémio para uma obra de ficção de um autor da área da lusofonia com menos de 35 anos, e com o valor pecuniário de 5000 contos.
José Luís Peixoto foi uma das revelações do ano passado e publicou, até à data, três livros: "Morreste-me", "Nenhum Olhar" e, acabado de sair, um livro de poesia, "A Criança em Ruínas". "Nenhum Olhar" será publicado ainda este ano em Espanha e em Itália.

"José Luís Peixoto tem essa qualidade notável: bastam duas linhas, e entramos num continente novo, num lugar inédito do espaço literário. Depois, resta saber até que ponto isto vai ser possível sustentar-se ou desenvolver-se. E neste romance o leitor pode estar certo de que a partir da segunda ou terceira sequência ficamos seguros de que a inclinação é fatal: vamos embater num limite, num muro, num enigma, na origem do mundo e no desastre final, num empolgamento incontrolável dos seres, das palavras, dos sinais, das paisagens, das situações, numa altíssima conjura a que não podemos escapar." Eduardo Prado Coelho, Público "Leituras"

3 comentários:

  1. José Luís Peixoto é um dos meus escritores preferidos!
    Que pena teres desistido a meio do livro. Até compreendo, pois esta história não é fácil! Considero que exige muito de nós!
    Porque não antes "Uma Casa na Escuridão" (o meu preferido) ou "Cemitério de Pianos"? :) Ou até mesmo um de poesia dele, como "Criança em Ruínas"!
    Boas leituras!

    ResponderEliminar
  2. Viva.

    Comigo acontece diversas vezes, penso que por ano há uns 6,7 livros que começo a ler de desisto poucas páginas depois. Alguns não gosto do estilo do escritor, outros é a história que nada me diz, enfim, são diversos factores.

    ResponderEliminar
  3. Olá Tons de Azul!
    Vou insistir com este autor: vou ler então "uma casa na escuridão"
    bjs

    ResponderEliminar