Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

"O Que Sabe o Vento" de Amy Harmon

Gosto tanto quando um livro me deixa empolgada, quando os personagens saltam das páginas do livro e vêm fazer-me companhia! Peguei neste livro pela capa e pela palavra “Irlanda” que constava na sinopse. Não tenho vergonha em dizê-lo. Às vezes apetece-me ir à aventura…

Foi uma leitura fantástica. Primeiro, porque saí da minha zona de conforto. Normalmente não leio Fantasia, embora tenha lido, por exemplo, Harry Potter, Marion Zimler Braliley e tenha gostado muito. Depois, porque este livro faz um casamento perfeito entre esse género literário e o Histórico. Pouco sabia sobre a Irlanda de 1916 e anos seguintes, das lutas e guerras pela libertação desse país, que se encontrava dominado pelos ingleses, e foi um aprendizado maravilhoso.

E, se bem que haja uma premissa que nos leva para o caminho do fantástico, ela torna-se plausível e adorei esse toque diferente, quase de magia, mesclado com acontecimentos verídicos sobre a luta pela independência da Irlanda. E sim, fui cuscar na Net porque os meus conhecimentos eram escassos…

Amei as personagens principais, senti ao lado delas que o amor ultrapassa barreiras e é intemporal. Recomendadíssimo!

Terminado em 29 de Novembro de 2019

Estrelas: 6*

Sinopse
«Só o vento sabe o que verdadeiramente vem primeiro.»
Anne Gallagher cresceu encantada pelas histórias do avô acerca da Irlanda. Destroçada pela morte dele, viaja até à sua casa de infância para espalhar as cinzas do avô no lago Lough Gill. Aí, invadida pelas lembranças do homem que adorava e consumida pela história que nunca conheceu, vê-se levada para uma outra época.

A Irlanda de 1921, à beira de uma guerra civil, é um sítio turbulento e instável… Mas é lá que Anne inesperadamente desperta, desorientada, ferida e ao cuidado do Dr. Thomas Smith, o homem que a resgatou do invulgar acidente que sofreu e que é tutor de um rapazinho que lhe é estranhamente familiar. Confundida por todos como a mãe perdida do rapaz, Anne adota a sua identidade, convencida de que o desaparecimento dessa mulher está ligado ao seu.

Com a tensão a escalar no país, levando Thomas a juntar-se à luta pela independência da Irlanda, Anne vê-se arrastada para o confl ito e percebe que vai ter de decidir se estará disposta a desistir da vida que conhecia por um amor que nunca pensou vir a encontrar. Mas será mesmo dela a escolha?

Numa inesquecível história de amor, a viagem impossível de uma mulher através de décadas pode mudar tudo…

Cris

2 comentários:

  1. Olá Cris. Fica na lista dos a não perder!! Também não era fã de fantasia até ler Juliet Marillier, é um "must". Este parece-me outra onda de fantasia, mas muito, muito interessante. Irlanda, viagens pelo tempo, amor...só ingredientes apetecíveis.
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia eu gostei muito, como podes ver pelas estrelas que atribuí... beijinho

      Eliminar