Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

"Filhos à Venda" de Kristina McMorris

Olhem para a capa. Imaginem uma história, sem ler a sinopse. Pensaram em algo contado por uma criança? Uma criança abandonada e suas desventuras? Um regresso ao passado de alguém que se viu na contingência de vender um filho? Pois é! As capas enganam. Desta feita para melhor.

Esta obra não é lamechas como a capa faz parecer. É de leitura compulsiva e começa por referir como um pequeno deslize de um jornalista que deseja ascender no seu jornal pode complicar em muito a vida de alguém. Mas fala-nos também de como os sentimentos humanos podem e devem gerir as nossas vidas, de como os valores íntegros não devem ficar esquecidos na labuta do dia a dia.

Só o final, a meu ver, ficou aquém do que esperava. Queria um final não tão previsível. Que não acabasse tão bem. Queria algo que me marcasse, que eu não pudesse esquecer. Mas, acredito, que este final vai satisfazer a maioria dos leitores. Serei demasiado exigente? Não me peçam para tentar dar um final diferente... Se o soubesse fazer, seria escritora! 

Tudo o resto foi perfeito. Com uma acção crescente de intensidade, de muito fácil entendimento, uma história plausível. Foi engraçado perceber, no final do livro, pelas palavras da autora, que um artigo, uma foto verídica deram azo a uma história que prende o leitor porque parece real e porque está bem contada. Precisamente porque o enredo está apelativo sem momentos mortos.

Adorei saber que a autora se baseou numa história verídica na altura da Grande Depressão nos EUA, de como uma foto e um acontecimento serviram para gerar uma história de ficção muito boa.

Recomendo sem reservas. 

Terminado em 15 de Fevereiro de 2019

Estrelas: 5*

Sinopse
Uma história comovente de perda e redenção, inspirada em impressionantes acontecimentos reais.

Em 1931, o repórter Ellis Reed depara-se com uma cena angustiante. Duas crianças encontram-se no alpendre de uma casa rural e ao seu lado está uma tabuleta onde se pode ler:

Vendem-se duas crianças

Aquele anúncio, um reflexo das dificuldades brutais que inúmeras famílias americanas enfrentaram após a queda da bolsa em 1929, leva Ellis a tirar uma fotografia à cena. Quando Lillian Palmer, sua colega no jornal, encontra a fotografia, sugere a sua publicação ao chefe de redação. Ellis revela-se contra, mas percebe que aquela imagem pode conduzir à sua grande oportunidade de progredir na carreira.

Acidentalmente, a fotografia é destruída, e Ellis tem de regressar à casa para voltar a fotografar a cena. Ao encontrar a casa vazia, toma uma decisão: recria uma cena semelhante numa casa vizinha, com novas crianças, e tira outra fotografia.

A imagem acaba por ser publicada, e as consequências são devastadoras. Ellis e Lillian sabem que um grande erro foi cometido, e vão ter de decidir quanto estão dispostos a arriscar para salvar uma família fraturada.

Cris

2 comentários: