Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

segunda-feira, 23 de julho de 2018

"O Pecado da Gueixa" de Susan Spann

Talvez esperasse algo diferente deste livro por sugestão do título. Li alguns livros sobre gueixas e lembrei-me imediatamente que relatavam as suas vidas e os seus costumes, esperando algo do género. No entanto, pela leitura da sinopse, fiquei a saber que se tratava de uma investigação de um crime por parte de um samurai e de um padre português, jesuita. Ë, pois, um thriller mas com contornos históricos onde o ambiente vivido na época está soberbamente descrito.

É uma verdadeira viagem no tempo a que este livro nos propõe. 1560, aproximadamente. Quioto, Japão. Uma gueixa é encontrada junto a um homem morto numa casa de chá, completamente desfeita emocionalmente e com as roupas manchadas de sangue. Tudo indica que foi a autora do crime...

A partir daí uma sucessão de acontecimentos rápidos e envolventes dão origem a dois dias de uma procura relâmpago do verdadeiro assassino por parte de Hiro, o samurai, e do Padre Mateus. Mas também, e sobretudo (tratou-se da parte que mais gostei) de um explicar muito aprofundado dos costumes dessa época, onde a honra dos samurais obrigava a uma conduta específica e regras que nos são desconhecidas e estranhas. 

Se descobri o assassino? Não sou a pessoa mais indicada para chegar a meio de um livro com a "certeza" de ter descoberto quem matou quem e, aqui, também não foi diferente. Embora goste de ler thrillers não é o meu género de leitura dominante. Porém, mesmo para os mais ágeis leitores nestas coisas de mortes, acredito que aqui não será fácil descobrir o assassino! Eu não desconfiei nadica de nada.

Envolvente e enriquecedor, um thriller para guardar na prateleira dos "preferidos".

Terminado em 14 de Julho de 2018

Estrelas: 5*

Sinopse
Um missionário português enfrenta o código samurai para salvar a vida de uma mulher.
Um romance repleto de pormenores de época e com um refinado conhecimento da cultura japonesa.
Quioto, 1564. O padre Mateus, um jesuíta português, está no Japão como missionário. Quando uma gueixa convertida ao cristianismo é acusada da morte de um samurai, o padre compromete-se a ajudá-la, arrastando o seu protetor, o mestre ninja Hiro Hattori, para a investigação.
Ao mergulhar nas perigosas águas do mundo noturno de Quioto, percebem que toda a gente tem um motivo para querer manter a morte do samurai envolta em mistério. As pistas amontoam-se e apontam para demasiados suspeitos: da rara arma do crime a uma mulher samurai, passando por uma relação amorosa, um viajante incógnito e alguns negócios obscuros.

Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário