Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 11 de julho de 2018

"Guerra - e se fosse aqui?" de Janne Teller

Sei que fica bonito dizer-vos que não escolho livros pela capa! Mas não seria verdade e por isso fica essa frase para outra vida porque nesta isso acontece-me com alguma frequência. A minha atracção primeira é, muitas das vezes, pelo exterior e só depois sigo para a sinopse... Neste livro tive uma paixão imediata pela capa, facto que me fez pedi-lo à editora! Pela capa e pelo título fortíssimo e actual.

Quando abri o envelope a surpresa foi total: o seu tamanho era tão reduzido! Como se de um passaporte se tratasse! Faz todo o sentido e começa precisamente pela capa a mensagem que a autora quer transmitir e que o título é prova disso.

Janne Teller para além de ser uma activista dos direitos humanos, trabalhou na resolução de conflitos nas Nações Unidas, na União Europeia, em Moçambique, na Tanzânia e no Bangladesh. Verificou de perto os problemas que os refugiados passam e a sua vontade última de voltar às sua terras, de retomar as vidas deixadas para trás...

O texto do livro é adaptado ao país onde é editado. Simples, directo, atingindo e tocando o leitor. Começa assim: "E se Portugal estivesse em guerra. Para onde ias tu?" Faz pensar. Isso é o pretendido, claro está. Fará mudar também as mentalidades?

A minha experiência pessoal foi marcada também por algo semelhante, não igual. O horror que hoje assistimos na TV parece ainda pior. E no entanto, uma guerra é sempre isso mesmo, uma guerra. Será que o Homem nunca aprende?

Quando era ainda miúda, 11 anos, deixei a minha terra, as minhas amigas, as minhas bonecas e os meus livros. Foi a coisa mais difícil da minha infância. Vim para um país onde se falava a mesma língua mas onde a linguagem era diferente. Fui considerada uma retornada sem o ser. Não estava a retornar. A minha terra não era aqui, nem nunca tinha sido. No entando, depressa me adaptei. Era miúda. Os meus pais ficaram sempre com vontade de voltar para a terra "deles". Esta nunca foi a sua terra. Nunca mais voltámos. Agora aquela terra já não é a minha. Quando me perguntam onde nasci não sei bem o que responder. O sítio onde nasci já não existe como nos meus sonhos. Lá, nos meus sonhos, ele continua intacto.

Terminado a 3 de Julho de 2018

Estrelas: 5*

Sinopse
Janne Teller faz uma experiência provocadora: vira do avesso a atual crise de migrantes e faz de nós os refugiados. Faz-nos ver como se sente alguém que é obrigado a fugir do seu país, a ser exilado e a lutar pela sobrevivência num país estrangeiro.

Neste conto, a Europa desintegrou-se devido à guerra e o único ponto do globo que está em paz e é acessível é o Médio Oriente. Seguimos a fuga de uma família comum e vemos a sua vida de refugiados através do seu filho de 14 anos.

Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário