Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

domingo, 15 de abril de 2018

Ao Domingo com... Isabel Moreira Brito


D. Sebastião desapareceu em Alcácer do Sal? Não, não desapareceu. Este é um dos lapsos que faz parte do livro e que acabou por dar título ao mesmo. Trata-se de um livro divertido mas ao mesmo tempo com uma vertente pedagógica. Não se apresenta apenas o erro. É necessário explicar em que contexto ele surgiu, apresentando-se a questão formulada pelo docente e posteriormente a história contada tal como ela é, os verdadeiros factos. É esta a estrutura apresentada ao longo de 12 capítulos, num total de 100 histórias. A informação é apresentada de forma breve, contudo, precisa, e está relacionada com acontecimentos abordados nos programas de História do Ensino Básico e Secundário.
      Os erros compilados não permitem que se identifiquem os alunos e foram coligidos ao longo de 20 anos em fichas de trabalho, testes de avaliação e nas aulas. 
      Em momentos de ansiedade, de pouca inspiração, ou de pouco estudo, podemos tornar-nos mais criativos. Muitos dos erros dos alunos estão relacionados com o stresse, com os nervos que os dominam durante a realização de uma prova, e, muitas vezes, quando se trata de questões colocadas em fichas de trabalho, testes e exames, percebe-se que não releram sequer a sua resposta e que muitos nem compreenderam a questão formulada.
      Ainda que não se acredite, é real. Os erros nas aulas e testes de História (e de outras disciplinas) acontecem e, na maior parte das vezes, originam histórias engraçadas impossíveis de esquecer.

Isabel Moreira Brito

Sem comentários:

Enviar um comentário