Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sexta-feira, 21 de abril de 2017

"Escrito na Água" de Paula Hawkins

      Antes de mais quero agradecer à Topseller o ter recebido um "exemplar de avanço" e ter podido pegar nesta leitura antes da sua publicaçāo a 2 de Maio. Gostei muito da "Rapariga no Comboio", livro e filme. Estava, pois, expectante em relaçāo à sua próxima obra.
      "Escrito na Água" levou-me mais tempo a ler. Confesso que, sendo a escrita fluída e descomplicada e, por isso, de fácil leitura, foram os personagens que custaram a ganhar forma no meu pensamento. Nāo porque estivessem mal construídos, mas porque eram muitos. Os capítulos pequenos onde era alternada a perspectiva de cada um deles, obrigaram-me a escrever numa folha quem era quem, quem fizera o quê e que ligaçōes familiares existiam entre eles. E isso bem até metade do livro. Estava suspensa no tempo e no espaço pois muito dos diversos personagens coexistem no livro em espaços temporais diferentes e foi complicado localizar-me sem recorrer à minha cábula.
      A história adensa-se e aos poucos o puzzle vai sendo completado. Bem, nāo o puzzle completo... Apenas os bordos. É que este puzzle tem milhares de peças e só mesmo nas últimas páginas é que os mistérios sāo esclarecidos. Ou ficará algum para as últimas linhas?
      As mortes de algumas raparigas caídas de um penhasco junto a um rio sāo o mote para um livro onde o mistério está presente em todas as páginas. Depois dos personagens estarem verdadeiramente ligados a nós torna-se fácil reconhecê-los e seguir os acontecimentos. Espero que, também este livro, passe para a tela... Se assim for, lá estarei! 

Terminado em 13 de Abril de 2017

Estrelas: 4*+

Sinopse
      Um thriller intenso, da autora do bestseller mundial "A Rapariga no Comboio". Cuidado com as águas calmas. Não sabemos o que escondem no fundo. Nel vivia obcecada com as mortes no rio. O rio que atravessava aquela vila já levara a vida a demasiadas mulheres ao longo dos tempos, incluindo, recentemente, a melhor amiga da sua filha. Desde então, Nel vivia ainda mais determinada a encontrar respostas. Agora, é ela que aparece morta. Sem vestígios de crime, tudo aponta para que Nel se tenha suicidado no rio. Mas poucos dias antes da sua morte, ela deixara uma mensagem à irmã, Jules, num tom de voz urgente e assustado. Estaria Nel a temer pela sua vida? Que segredos escondem aquelas águas? Para descobrir a verdade, Jules ver-se-á forçada a enfrentar recordações e medos terríveis há muito submersos naquele rio de águas calmas, que a morte da irmã vem trazer à superfície. Um livro profundamente original e surpreendente sobre as formas devastadoras que o passado encontra para voltar a assombrar-nos no presente. Paula Hawkins confirma, de forma triunfal, a sua mestria no entendimento dos instintos humanos, numa história com tanta ou maior intensidade do que "A Rapariga no Comboio"
Cris

Sem comentários:

Enviar um comentário