Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sábado, 31 de março de 2012

Um livro numa frase


“O sofrimento é o factor que muda o final do jogo, muda a capa da morte do preto para o branco. É um corredor mal iluminado situado fora do tempo, um lugar de um cansaço esmagador, a única coisa suficientemente grande para obrigar alguém a segurar a porta para que a morte possa entrar.”

In pág.159, "Um longo regresso a casa", Gail Caldwell

Frase escolhida por: Fernanda Palmeira, convidada do blog.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Novidades Civilização

O Circo dos Sonhos 
de Erin Morgenstern
Um romance de magia e amor que está a encantar os leitores de todo o mundo através do fantástico poder da imaginação. Um misterioso circo itinerante chega sem aviso e sem ser precedido por anúncios ou publicidade. Um dia, simplesmente aparece. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas vive-se uma experiência absolutamente única e avassaladora. Chama-se Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos) e só está aberto à noite. Mas nos bastidores vive-se uma competição feroz – um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, que foram treinados desde crianças exclusivamente para este fim pelos seus caprichosos mestres. Sem o saberem, este é um jogo onde apenas um pode sobreviver, e o circo não é mais do que o palco de uma incrível batalha de imaginação e determinação. Apesar de tudo, e sem o conseguirem evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor – um amor profundo e mágico que faz as luzes tremerem e a divisão aquecer sempre que se aproximam um do outro (…). O Circo dos Sonhos é uma obra fascinante que fará com que o mundo real pareça mágico, e o mundo mágico, real.



quinta-feira, 29 de março de 2012

A convidada escolhe: Entre o céu e a montanha

Gostei muito deste livro! A minha opinião aqui. (Cris)


"Este livro aparentemente pertence ao género romance romântico ou pelo menos foi essa a noção que interiorizei. Pois bem, ao fim de poucos capítulos disse a mim mesma, “Se isto é romance romântico” então afinal gosto deste género! Ou então está mal rotulado! Continuo sem saber qual das hipóteses mas também nem me interessa mais pois este livro foi uma surpresa fantástica!

Um romance maduro, algo transgressor, o que me agrada sempre num romance, uma história muito interessante e uma escrita que nos descreve com mestria as paisagens
galesas com as suas soberbas montanhas repletas de perigos, os seus lagos e vales verdejantes e pintalgados de flores, as casas fantásticas e os jardins cheios de cores, os cheiros e sabores gastronómicos...

O autor escreve duma forma que nos faz querer estar lá junto com as personagens a viver as suas angústias e as suas alegrias, a provar a sua comida, a bebericar a sua bebida, a escalar as suas montanhas perigosas, faz-nos querer ser um deles.

As duas personagens principais são Fiona e Alec, ela dona de uma estalagem e ele um norte-americano que é um perfeito cavalheiro! O romance entre Fiona e Alec é absolutamente arrebatador, uma história de amor entre duas pessoas já em idade madura, ambos com um passado com algumas perdas importantes, é-nos descrito pelo autor, duma forma belíssima, sensual, intimista, comovente.

Will North aborda neste livro com grande sensibilidade os temas do amor, da lealdade, da amizade, da vida e da morte e com um tipo de escrita que nos “engana” com a sua envolvência dando-nos a sensação de estar lá no centro da narrativa.

O autor arriscou logo no inicio do livro revelar o seu final! No entanto quando
regressa ao passado para nos contar então a história nada se perdeu... a intensidade não esmoreceu, o interesse não se desfez e o leitor torna-se ávido desta história sendo difícil pousar o livro até o acabar! Fantástica esta capacidade de agarrar o leitor começando por lhe revelar o final e conseguir voltar atrás para contar a história que levou ao mesmo sem o leitor perder um pingo de interesse pela narrativa!

Depois temos as histórias paralelas que são igualmente envolventes. Agradou-me
particularmente a história do passado de Alec com a ex-mulher Gwynne, história essa que acaba por catapultar o encontro de Alec e Fiona, mas mais não digo pois seria revelar em demasia os pormenores deste maravilhoso livro.

Devo confessar que no final desta história tão sensibilizante, não consegui suster umas lágrimas... A envolvente escrita deste autor e os sub-temas abordados, tiveram esse poder sobre mim! Altamente recomendado!

Se me pedissem para atribuir uma classificação de 1 a 5, atribuiria um 5+!"

Teresa Carvalho

quarta-feira, 28 de março de 2012

Novidades Planeta

A Cidade dos Anjos Caídos
– Caçadores de Sombras –
de Cassandra Clare
A Guerra Mortal acabou e Clary Fray, com 16 anos, está de regresso a casa, em Nova Iorque,  entusiasmada com o que o futuro lhe reserva. Está em treino para se tornar numa Caçadora de Sombras e saber usar o seu poder único e a mãe vai casar-se com o amor da sua vida.
Os Habitantes-do-Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras estão, finalmente, em paz. E, acima de tudo, Clary já pode chamar namorado a Jace.
Mas tudo tem um preço.
Anda alguém a assassinar os Caçadores de Sombras que pertenciam ao círculo de Valentine, provocando tensões entre os Habitantes-do-Mundo-à-Parte e os Caçadores de Sombras, o que pode levar a uma segunda guerra sangrenta. 
O melhor amigo de Clary, Simon, não pode ajudá-la, a mãe descobriu que ele se transformou num vampiro e expulsou-o de casa. 
Para onde quer que olhe, alguém quer a sua aliança, bem como o poder da maldição que lhe destruiu a vida. E estão dispostos a fazer o que for necessário para obter o que querem. Ao mesmo tempo,namora com duas belas e perigosas raparigas, sem que uma saiba da outra.
Quando Jace começa a afastar-se de Clary sem qualquer explicação, esta vê-se forçada a mergulhar num mistério cuja solução se revela o seu pior pesadelo: ela própria desencadeou uma terrível cadeia de acontecimentos que podem levá-la a perder tudo o que ama. Até Jace.

Jesus Ama-me
de David Safier
Uma história descarada sobre o amor, a família e a tolerância.
E uma comovedora fábula sobre o valor dos sentimentos.
Todas as pessoas têm um talento especial e Marie, uma trintona que vive numa aldeia alemã, também tem um: apaixonar-se pelo homem errado.
Pouco depois de deixar o noivo plantado no altar, conhece Joshua, um carpinteiro estranho. É um homem diferente de todos os que conheceu antes: sensível, atencioso, desinteressado. Mas também não é o homem perfeito: no primeiro encontro confessa que é Jesus.
Marie pensa que ele está louco, mas aos poucos dá-se conta de que a sua história bate certo. Apaixonou-se pelo Messias, que veio à Terra antes do Juízo Final. Marie vai enfrentar não só o fim do mundo, previsto para a terça-feira seguinte, mas também o romance mais destrambelhado que já viveu.

Autobiografia
de Nelson Mandela
Um Longo Caminho Para a Liberdade
Prémio Nobel da Paz, em 1993, presidente do Congresso Nacional Africano (ANC) e líder do movimento anti-apartheid, Nelson Mandela é um dos grandes chefes morais e políticos do mundo.
Um homem que é um dos poucos verdadeiros heróis que ainda temos.
Nas suas memórias, Um Longo Caminho para a Liberdade, que são um best-seller a nível internacional, conta-nos a sua extraordinária história de vida – uma narrativa épica de luta, derrota, esperança renovada e triunfo final.

Novidades ASA

O Mundo Invisível
de Katherine Webb

O verão quente de 1911 vê chegar à pacata aldeia de Cold Ash Holt dois novos e improváveis elementos. Cat Morley, a nova criada do reverendo Albert Canning e da sua mulher, Hester, vem de Londres. Habituada à azáfama da cidade, Cat é rebelde e ousada mas é também incapaz de esquecer um passado demasiado doloroso. Um passado que a ingénua Hester está disposta a aceitar mas que nunca poderá compreender. A inexperiente mulher do pároco fica ainda mais inquieta quando o marido lhe apresenta um desconhecido, abrindo as portas de sua casa não apenas a um jovem atraente e carismático, mas também a uma perigosa obsessão.
À medida que a serenidade do casal Canning se deteriora, Cat inicia-se no submundo secreto da sociedade local e o magnético Robin torna-se num alvo de desejo e fascínio. O calor opressivo daquele verão parece intensificar-se e impregnar tudo e todos, e o ambiente na reitoria fica carregado de ambição, paixão e ciúme; uma mistura de emoções tão poderosa que conduz, em última instância, ao homicídio.
Cem anos depois, cabe a Leah, jornalista incansável, decifrar duas enigmáticas cartas e juntar as peças de um quebra-cabeças assombroso. 



Cartas da Toscana
de Domenica de Rosa
Emily tem uma vida de sonho: uma casa maravilhosa nas colinas da Toscana, três filhos lindos, um marido gentil, e um emprego que consiste em descrever tudo isto na coluna de um jornal inglês. Mas quando o marido a deixa por SMS, ela tem subitamente de enfrentar uma nova e dura realidade: está isolada numa região rural cuja língua não domina, sem dinheiro e entregue a uma empregada doméstica psicótica. E como se isto não bastasse, Siena, a filha mais velha, está perdida de amores pelo galã da zona; Paris, a filha do meio, está perigosamente magra; e Charlie, o seu bebé fofinho, está a transformar-se num fedelho irritante.
Mas o seu trajecto rumo ao desespero tem também o efeito de a aproximar da aldeia de Monte Albano, um lugar mais intenso e mágico do que alguma vez imaginou. Depois de anos a descrever uma Toscana idílica nas suas Cartas, Emily descobre finalmente a vida genuína e complexa da região… e um homem intrigante que tem para lhe oferecer a maior aventura da sua vida. 


O Português Inquieto
de Kunal Basu
Lisboa, 1898: António Maria, jovem médico e afamado playboy, descobre que o seu pai está a morrer de sífilis, a terrível praga que afecta todas as camadas da sociedade. Órfão de mãe desde criança, António não se conforma com a ideia de perder o pai tão cedo. Mas os seus conhecimentos médicos de nada servem neste caso. Determinado a encontrar a cura, parte para Pequim, na esperança de que a medicina tradicional chinesa tenha a resposta que teima em escapar ao Ocidente. Sob a orientação do Dr. Xu, António inicia-se naquela prática ancestral. Contudo, esta não vai ser a sua única revelação a Oriente. Quando conhece a sedutora e independente Fumi, ele apaixona-se pela primeira vez.
Mas à sua volta, a violência eclode. A Rebelião dos Boxers ameaça todos os estrangeiros a viver no país. António terá de decidir-se rapidamente entre a fuga e a permanência na China, a sua segurança pessoal e a possível cura para o pai. E há ainda Fumi, o amor a que ele não tenciona renunciar e que o leva a questionar tudo, alterando irreversivelmente o rumo da sua vida. 


Vida Roubada
de Jaycee Dugard
A 10 de junho de 1991, Jaycee foi raptada em frente a sua casa, enquanto esperava pela carrinha escolar. Tinha 11 anos. Os seus familiares e amigos só voltariam a vê-la 18 anos depois. Durante o seu cativeiro, deu à luz duas filhas e foi escrava dos seus raptores, o casal Phillip e Nancy Garrido.  
Neste duro e chocante relato, Jaycee revela tudo por que passou e o que sentiu após a sua libertação de um dos raptos mais longos da história.
Phillip Garrido foi condenado a 431 anos de prisão, e a sua mulher, Nancy, recebeu uma sentença de 36 anos a prisão perpétua.

“No verão de 1991 eu era uma criança normal. Tinha amigos e uma mãe que me adorava. Eu era como vocês. Até ao dia em que a minha vida foi roubada.
Durante dezoito anos fui uma prisioneira.
Durante dezoito anos não fui autorizada a proferir o meu próprio nome.
Durante dezoito anos sobrevivi a uma situação impossível.
No dia 26 de agosto de 2009 recuperei o meu nome.
Não me considero uma vítima. Sobrevivi.
Esta é a minha história.”

Novidade Quetzal: "Nenhum Olhar" de José Luís Peixoto em formato e-book

O primeiro romance de José Luís Peixoto. Distinguido em 2001 com o Prémio José Saramago, é o livro do escritor com mais edições e traduções. Agora, está disponível em versão e-book.

Numa aldeia do Alentejo, com um pano de fundo de uma severa pobreza, o autor vai tecendo histórias de homens e mulheres,
endurecidos pela fome e pelo trabalho, de amor, ciúme e violência: o pastor taciturno que vê o seu mundo a desmoronar-se quando o diabo lhe conta que a mulher o engana; o velho e sábio Gabriel, confidente e conselheiro; os gémeos siameses Elias e Moisés, cuja terna comunhão se degrada no momento em que um deles se apaixona; o próprio Diabo. As suas personagens são universais, assim como a sua esperança face à dificuldade.


«Bastam duas linhas, e entramos num continente novo, num lugar inédito do espaço literário»
Eduardo Prado Coelho
«Livro luminoso, e ao mesmo tempo tristíssimo – ou seja, absolutamente português»
José Eduardo Agualusa

Um longo regresso a casa de Gail Caldwell


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 208
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722048903

Mesmo depois da opinião da Fernanda (ver aqui) pensei que leria este livro rapidamente. O seu pequeno tamanho e as suas 200 páginas assim mo fizeram acreditar.

Não foi bem assim! Esta leitura é densa, pesada sobretudo pelos temas que aborda. Sobretudo, também, nas primeiras folhas quando a autora nos dá a conhecer como conheceu a sua melhor amiga. E como a perdeu!


Os pontos que as uniam passavam pelo amor pelos animais, pelo silêncio cúmplice onde as palavras não precisavam ter lugar, pela necessidade de pôr o outro em primeiro lugar... Unidas estavam, também, no seu amor pela escrita tendo ambas uma profissão com ela relacionada e por um passado comum de alcoolismo.


A união, a simbiose que se gerou entre as duas, fizeram-nas compreender que tinham nas mãos algo de precioso e único e que deveria durar uma vida longa... quis o acaso que isso não acontecesse. 


Surpreendentemente, quando na narrativa a autora nos conta como perdeu a sua amiga, é aí que a leitura se tornou, para mim, mais emotiva, sim, mas mais fácil de entender, mais terra-a-terra. Os passos sentidos pela autora para chorar a dor fizeram-me perceber que só quem sofre um perda grande consegue perceber do que fala Gail Caldwell!


Gostei muito deste livro. Os sentimentos, as emoções estão ao rubro nesta leitura!

Terminado em 27 de Março

Estrelas: 4*+

Sinopse

«Esta é uma velha história: eu tinha uma amiga com quem partilhava tudo, até que ela morreu e também isso nós partilhámos. Um ano depois de ela ter partido, quando eu julgava já ter ultrapassado a loucura daquele sofrimento inicial, caminhava no parque de Cambridge onde durante anos Caroline e eu passeámos os cães. Era uma tarde de inverno e o local estava vazio - a estrada fazia uma curva, não havia ninguém à minha frente nem atrás de mim e eu senti uma desolação tão grande que, por momentos, os meus joelhos ficaram imóveis. "O que estou aqui a fazer?", perguntei-lhe em voz alta, habituada agora a conversar com uma melhor amiga morta. "Devo seguir em frente?"»

terça-feira, 27 de março de 2012

A convidada escolhe: As horas distantes

Os livros de Kate Morton têm lugar cativo na minha estante. Espero ler este muito em breve! (Cris)


"Li o "Jardim dos Segredos"e como tal, não poderia deixar de ler este novo romance de Kate Morton. 

Contudo, com expectativas elevadas não foi fácil embrenhar-me nesta leitura, que desde o primeiro momento me provocou um estado de espírito de ansiedade e inquietação enquanto vislumbrava os muitos mistérios, segredos e dramas que naquelas horas distantes e entre as paredes sussurrantes do Castelo de Milderhurst ocultavam as irmãs Blythe.


 Edie Baker curiosa e intrigada com uma reacção emocional da sua distante mãe e fascinada pela memória enquanto criança do célebre livro do Homem da Lama e um vislumbre do Castelo, vai intervir na solitária existências destas cúmplices e trágicas personagens. 

Em suspense, quis acelerar mas a autora tinha outros planos e tive que condicionar a leitura ao ritmo imposto para me deleitar com todas as revelações.

Brilhante e perturbador como só Kate Morton consegue. Uma escrita elaborada e cuidada de uma beleza ímpar, pautada por descrições que enriquecem a narrativa, e permitem ao leitor uma imagem tão real e sensitiva quanto possível. Qual aranha, tece por meio de palavras, uma complexa trama que nos vicia e inebria. Um talento indiscutível para contar uma história e provocar emoções fortes ao longo da leitura.  
  
Um romance para ler, reler e reflectir. Um prazer de ler. Excelente."

Vera Sopa

segunda-feira, 26 de março de 2012

Oficina de Escrita com Patrícia Reis na LEYA-Buchholz


Regresso a Itália de Elizabeth Adler


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 348
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789898228765

Lê-se num fôlego este livro! A escrita de Elizabeth Adler é muito fluída, com retratos de paisagens e sítios verdadeiramente espectaculares e revi-me em Itália, na Costa Amalfitana numas esplêndidas férias que por lá passei em 2008. A Costa Amalfitana é realmente belíssima e foi considerada pela Unesco, em 1997, como Património Mundial da Humanidade.

Lugares descritos com mestria, de quem por lá passou de certeza, cheiros e sabores típicos de Itália em junção com um romance onde o amor, a perda, o mistério se entrelaçam, resultando numa leitura muito agradável, óptima para se intercalar com livros mais pesadotes.

Leitura leve e primaveril, este livro é perfeito para descansar. Os personagens, descritos com minúcia, resultam bem e enquadram-se na perfeição com os sítios e sabores descritos, dessa Itália que muitos conhecemos quer fisicamente, quer pelos livros, nossos amigos.

Terminado a 25 de Março de 2012

Estrelas: 4*

Sinopse

O marido de Lamour Harrington morreu há dois anos. Desde então, Lamour deixou-se absorver pelo seu trabalho de arquiteta paisagista, mas nem sequer a criação de belas «salas» exteriores consegue devolver-lhe a paz interior. Quando é confrontada com uma horrível verdade sobre o marido que adorava, Lamour percebe que precisa de um lugar onde se reconciliar com a vida. Regressa à casa na costa amalfitana onde viveu com o pai durante os anos mais felizes da sua infância. Mas a casa das suas recordações contém os seus próprios segredos e obriga-a a enfrentar novas verdades sobre outro homem que amou em pequena. A morte do pai foi mesmo acidental? Ou esconderia alguma coisa que precipitou o seu desaparecimento precoce? 
Dividida entre dois homens misteriosos e irresistíveis, Lamour descobre que o passado tem formas de reaparecer quando menos se espera. E alguém quer assegurar-se que Lamour não revela os segredos daquele refúgio idílico e de sonho. Quando o passado e o presente colidem num clímax demolidor e cheio de suspense, Lamour deve encarar o que mais teme, para encontrar a coragem de viver a vida na sua plenitude. Regresso a Itália é um romance fascinante, que nos excita os sentidos e se lê de um fôlego.

domingo, 25 de março de 2012

Ao Domingo com... Ricardo Tomaz Alves

"Lembro-me de, no meu 5.º ano de escolaridade, a Professora de Língua Portuguesa mandar como trabalho de casa semanal a escrita de um texto criativo, que seria posteriormente lido para os colegas, e de estes, aquando da minha primeira leitura, terem gostado bastante da história que ouviram. A partir daí, em vez de se disponibilizarem para ler os seus textos sempre que a Professora pedia um voluntário, preferiam escolher-me a mim para ler o que escrevera, para ouvirem. Desde então que percebi que talvez tivesse algum jeito para a escrita e sempre que me perguntavam o que queria ser, respondia “escritor”.


No final do secundário o “bichinho” voltou e, se queria ser escritor como sempre dissera, não podia fazer outra coisa se não escrever. Foi o que fiz, com todo o empenho e dedicação, acabando por iniciar o que seria o meu primeiro livro, um romance fantástico intitulado “Rio Equilibrium”. Foi uma sensação incrível, tanto a de escrever como a de terminar o livro, porém sabia que não podia depender de uma única obra para ser publicado, tendo então de continuar a escrever, mais e melhor, para convencer as editoras. Não pretendo ser um escritor de estilo único, porque que acabaria por oferecer sempre mais do mesmo ao leitor, mas antes do género multifacetado, explorando vários estilos. Por essa razão, depois de “Rio Equilibrium” escrevi uma autobiografia enquanto músico, um romance, um livro de contos e um ensaio.


Perto do final de 2011 a Alfarroba Edições reconheceu valor no livro “A Devota”, que conta uma história passada nos subúrbios e vila de Sintra, em locais secretos que desafiam a imaginação e que retratam a luta interior de uma jovem que terá de ultrapassar as difíceis fases da infância e adolescência enquanto enfrenta a luta interior de acreditar ou não no que lhe é dito e ensinado, enfrentando vários desafios à sua fé e psique."


Ricardo Tomaz Alves

sábado, 24 de março de 2012

No calor dos trópicos de Flávio Capuleto


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 352
Editor: Clube do Autor
ISBN: 9789898452993

Tenho de admitir que a capa e a sinopse deste livro atraíram-me deveras. Percebe-se, mesmo à primeira vista, que as duas estão interligadas, tal como gosto. A Ana opinou favoravelmente e foi mais uma razão para pegar nele.

Gostei bastante da trama histórica que considero resultante de uma pesquisa cuidadosa. Fiquei a conhecer melhor a época relatada, o período de abolição da escravatura no Brasil, as roças e seus conflitos resultantes desse período conturbado onde os escravos lutavam já pela sua liberdade e onde alguns senhores insistiam em mantê-los em cativeiro, sem condições mínimas de existência e com castigos corporais inimagináveis!

O romance gira em torno de um amor impossível entre José Afonso Bragança, Cônsul de Portugal no Brasil e Leonor de Mascarenhas, esposa de José Frutuoso, um dos homens mais ricos do reino. Um livro que se lê com agrado!
Confesso que achei algumas partes um pouco excessivas sobretudo no que concerne ao envolvimento amoroso entre o par e a linguagem por eles expressa...                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                               
Terminado a 24 Março de 2012

Estrelas: 4*

Sinopse

A queda abrupta de produção de café no nordeste brasileiro estava a arrastar os fazendeiros para a derrocada financeira. Na tentativa de solucionar o problema da falta de remessas, o rei D. Luís convida o Dr. Bragança dando ao seu cortesão a oportunidade de ouro de escapar a uma eventual pena de prisão por crime de adultério. Mas como se o destino reservasse uma armadilha ao novo diplomata, a amante viaja para Petrópolis na companhia do marido continuando ali a sua relação escaldante com o cônsul. Alertado para a traição contínua de sua esposa, D. João frutuoso, o magnata mais poderoso do Reino, banqueiro da casa real e da Coroa Brasileira, prepara uma emboscada ao diplomata, não só para o afastar dos braços de Leonor, mas também para poder exercer livremente o seu poder sobre os negros da roça e a sua vocação esclavagista. Um golpe inesperado dita a sorte dos amantes envolvidos nas malhas do destino.

Um livro numa frase



"O sorriso bonito, resplandecente, mais do que um estado de alma, era a sua arma para desconcertar aqueles que tudo faziam para a tornar infeliz."

In O tempo dos amores perfeitos, Tiago Rebelo

Frase escolhida por: Ana Margarida, convidada do blog

sexta-feira, 23 de março de 2012

À procura de Alaska de John Green


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 256
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892316826

Fiquei, pensativamente, a reflectir sobre o que dizer deste livro. É uma leitura que se faz rapidamente devido à forma irónica e alguns aspectos cómicos com que são abordados tanto os personagens como os seus discursos. Pode-se-ia pensar que se trata de uma leitura para um público mais juvenil... Não acredito nisso, porém.

A divisão dos capítulos em "Antes" e "Depois" fazem-nos acreditar que algo de grave e de mais sério vai surgir. Não vos vou relatar a história, não é essa a minha forma de comentar, mas adianto já que os jovens personagens desta obra - a acção situa-se maioritariamente num colégio interno - vão ter de se confrontar com algumas perdas que os levam a interrogarem-se sobre o valor da vida e os fazem crescer.

Gostei. Creio que a apreciação desta leitura vai depender um pouco da maturidade do próprio leitor e que o público mais jovem não irá apreciá-la na sua totalidade. O público menos jovem - eu! - fica sempre à espera que os personagens aprendam com os erros e que tirem uma lição... O que acontece no final, claro! E bem!

Terminado em 22 de Março de 2012

Estrelas: 4*

Sinopse

Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos - esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa."
Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas, quando a tragédia lhe bate à porta, Miles descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional.
Nunca mais nada será o mesmo.

Passatempo: "A Devota"

Mais um passatempo aqui no blog. O livro sorteado,gentilmente cedido pela Alfarroba, é "A Devota" de Ricardo Tomaz Alves.

O passatempo decorre até ao dia 31 de Março

As regras são as habituais. Um participante por email/residência e só para moradas em Portugal.


Boa Sorte!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Novidades Bertrand


História (Mesmo) Breve de Quase Tudo
de Bill Bryson
Neste livro, uma edição para os mais pequenos do seu êxito Breve História de Quase Tudo, Bryson responde de forma divertida, simples, verdadeira e original a questões como:
- O que aconteceu aos Dinossauros?
- De que tamanho é o Universo?
- Quanto pesa a Terra?
- Porque são os oceanos salgados?
- Vai cair-nos um meteorito em cima?
Numa linguagem clara e acessível, ensina os mistérios do Tempo e do Espaço e de quase tudo o que aconteceu e acontece no nosso planeta. Para escrever este livro, conheceu diversos cientistas bizarros, teorias loucas e importantes descobertas da Ciência.


Romance da Raposa
de Aquilino Ribeiro
A versão ilustrada de um dos mais emblemáticos livros infantis portugueses: Romance da Raposa, de Aquilino Ribeiro. Com ilustrações do francês Benjamin Rabier, um dos pioneiros da ilustração em França, conhecido sobretudo pelos seus desenhos de animais.
«As aventuras maravilhosas da Salta-Pocinhas – raposeta pintalegreta, senhora de muita treta» 




A Imperfeição do Presépio
de António Manuel Marques
A narrativa de vida de uma mulher vulgar, mas única, que nos guia pela pequena História portuguesa do século XX, através das memórias coletivas acerca do interior rural e da migração para uma capital que, aos poucos, alargou os seus limites para espaços menos urbanizados, como o bairro de Benfica.
Do discurso intimista e reflexivo da protagonista, constrói-se um olhar feminino sobre os universos conjugal, familiar e do trabalho, recorrendo também a publicações da época e, sobretudo, aos saberes de figuras reais com quem se cruzou.

A convidada escolhe: Duas irmãs, um rei

Philippa Gregory é mestra na escrita. Envolve-nos nas tramas reais de tal forma que nos apaixonamos pelas personagens e pelo enredo. Há pouco tempo devorei A senhora dos rios. Sublime. (Cris)

"Este foi o primeiro romance histórico que li. Por parvoíce, e tendo em mente que o lado histórico seria uma “seca”, nunca me tinha suscitado grande interesse ler nada do género. No entanto, este chamou-me a atenção. A capa e o tamanho do livro confesso.

Depois de alguns meses na estante peguei nele e comecei a lê-lo. Foi viciante, li-o mais rápido do que algum dia pensei ser possível. “Devorei-o” palavra por palavra, completamente inebriada por aquele livro fantástico.

Um livro que nos faz sentir emoções tão fortes e contraditórias por algumas das personagens, como Ana Bolena. Faz-nos querer fazer parte da história, querer estar lá, vivenciar tudo o que nos é contado. O contexto histórico enriquece de tal modo o livro como eu não pensei ser possível. Faz-nos ter uma imagem muito mais real dos personagens, dos amores e desamores e da época, dos princípios e das mentalidades.

Um livro sobre duas irmãs, as irmãs bolena, e como elas era tão diferentes, mesmo quando criadas do mesmo modo, mesmo querendo o mesmo homem, o mesmo rei.

Um leitura apaixonante, cheia de paixão, de amor, de ódios e intrigas que nos fazem não conseguir largar o livro, até à ultima página.

Foi com este livro que me tornei adoradora de romances históricos, estando curiosíssima para ler os outros livros da autora.

Um livro que recomendo a sua leitura. 5 estrelas."

Ana Margarida

quarta-feira, 21 de março de 2012

Dia Mundial da Trissomia 21

21 de março
Dia Mundial da Trissomia 21

VICENTE PROCURA UM LUGAR NO DIA MUNDIAL DA TRISSOMIA 21
“À Procura de um Lugar” é um livro de Fátima Marinho, cujo protagonista é um menino com trissomia 21. “Sometimes, I feel like Superman”, diz Vicente

Parte das receitas do livro reverte para a
Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21


“O nascimento do Vicente transformou tudo e todos à sua volta. (…) Tinha trissomia 21. O dia do seu nascimento foi o acto inaugural de mil desafios, mas também o início de vidas maiores que se escondiam no conforto e na previsibilidade dos dias. Às vezes a felicidade veste-se de breu só para que o sol brilhe mais quando rompe a alva”. E assim começa não só a vida do protagonista, e, simultaneamente, narrador e ilustrador deste conto, como também o livro “À Procura de um Lugar”, da Alphabetum Edições Literárias. A obra baseia-se na realidade da autora, Fátima Marinho, tia de um menino com trissomia 21 – uma deficiência genética que afeta, segundo se estima, um em cada 800 a 1.000 recém-nascidos, e que se recorda na terça-feira, 21 de março, Dia Mundial da Trissomia 21.

Resultado do passatempo: "Segredos de Paris"

Para sortear os dois livros de Luanne Rice, "Segredos de Paris", gentilmente cedidos pela Quinta Essência, socorri-me como habitualmente do Sr Random.Org. Desta vez tinha para oferecer dois exemplares e as sorteadas, de entre os 290 participantes, foram:

- Lilia Gomes, Ribeira Brava

- Rosa Manteigas, Brandoa

Muitos Parabéns às duas! Espero que tenham bons momentos de prazer com estes livros.

terça-feira, 20 de março de 2012

Novidade Clube do Autor

Segredos do Passado
de Mary Nickson
Há cinco anos, Isobel e Giles inauguraram um centro de artes na sua mansão escocesa. Agora, com mais um curso de escrita criativa prestes a iniciar-se, aguardam a chegada de um grupo a contas com o passado.
Determinada a começar uma nova vida, Louisa Forrester parte para a Escócia em busca de aventura, novos relacionamentos e de uma segunda oportunidade.
Marnie Donovan é uma jovem americana que, após um passado marcado por vários abandonos, decide dar um novo sentido à vida. E para tal, quer encontrar a casa de infância de que a misteriosa benfeitora tanto lhe falara e assim honrar a sua memória.
Isobel Grant é uma mulher divertida e a perfeita anfitriã. Mas enquanto tenta manter as aparências de uma vida familiar idílica, enfrenta o maior desafio da sua vida, que coloca em causa o próprio casamento.

No decorrer do curso, Louisa e Marnie sentem uma crescente atração pelo enigmático Christopher Piper e, em pouco tempo, vão ser forçadas a encarar os seus medos mais recônditos e as escolhas que fizeram.  

A convidada escolhe: Um longo regresso a casa

A Fernanda já me tinha falado neste livro, em como ia ser difícil voltar a pegar nele para elaborar uma opinião... Mas há coisas que precisam de ser feitas e livros que precisam de ser lidos! Este é um deles. (Cris)

"Já li este livro há umas semanitas mas confesso que o tenho andado a “digerir” para escrever esta opinião…

A proximidade da minha vivência com o cancro do pulmão – infelizmente reincidente - e a maior semelhança ainda com a minha história com a minha melhor amiga levaram-me a fazer uma leitura bastante lenta deste livro…

Um livro sobre a amizade, mas também sobre a força, o superar dificuldades e o superar-se!! “Numa situação de crise, fechava-me a mim própria, mais receosa de que alguém me desiludisse do que de ter de fazer as coisas sem ajuda.” (p. 122)

Com Gail e Caroline mergulhei no mundo desconhecido do alcoolismo, e senti-me perturbada com toda a sua envolvente, com os subterfúgios que se escondem em cada pessoa que se refugia na bebida. “(…) o mundo tal como o vemos é apenas uma versão publicada. (…)” (p.81)

Ao longo deste livro assistimos a vários momentos de libertação, à sedimentação de uma amizade e à sobrevivência após o luto, os vários lutos, porque ao longo da história vamos acompanhando vários lutos. Como diz Gail “(…) é possível atravessar o medo e sair chamuscado, mas a respirar. (…)” (p. 90)

Esta história autobiográfica é um relato bem vívido do sofrimento e da dor, mas como podemos ler na contracapa, uma ode à força da amizade e do amor. Porque “No que diz respeito ao sofrimento, a única educação que cada um de nós recebe é um curso intensivo.”
(p.166)

“Sempre me haviam desagradado os eufemismos que a civilização adoptara para a morte: «foi-se», «partiu», «faleceu». Pareciam-me evasivos e sentimentais, uma forma de branquear o conceito de morte, retirando-lhe a sua força declarativa. Agora, eu sabia por que motivo o vocabulário fora suavizado.” (p.168)

“Hoje sei que nunca ultrapassamos as grandes perdas: absorvemo-las e elas esculpem-nos até nos tornarmos uma pessoa diferente, frequentemente mais generosa” (p. 199)

Saí deste livro com o coração do tamanho de uma noz mas jamais deixaria de o ler. Ler Gail, conhecer a história da sua amizade com Caroline fez-me crescer porque “(…) O sofrimento é o factor que muda o final do jogo (…)” (p. 159)

Sei que a Odete Silva também leu este livro perturbador e gostaria, por isso, de ler a sua opinião, já que a minha se encontra toldada pela dificuldade que ainda agora encontro ao escrever estas palavras…"

Fernanda Palmeira

segunda-feira, 19 de março de 2012

A senhora dos rios de Philippa Gregory


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 568
Editor: Livraria Civilização Editora
ISBN: 9789722630115

Há realmente quem tenha o dom da escrita! Philippa Gregory possui-o, indiscutivelmente.

Enquanto lia este romance histórico não pude deixar de pensar que talvez seja mais difícil escrever um livro neste género literário pois conseguir prender o leitor com uma imaginação espectacular e, ao mesmo tempo, seguir determinadas linhas e fontes da História não deve ser tarefa fácil.

E é encantador, para nós leitores, quando descobrimos que durante a maior parte da leitura não nos encontrávamos cá, aqui em 2012, mas que fomos catapultados para 1430, para a França e a Inglaterra de então! Foi o que me aconteceu. E vi-me rodeada de personagens incríveis - Joana D'Arc, por ex. - por lendas e bruxarias, por caças à bruxa e guerras de poder, por julgamentos e condenações à morte por traição, por lutas entre nobres, por destinos conduzidos ao sabor de caprichos de um rei e senhores, por mulheres fortes e sábias mas que se tinham de submeter aos seus maridos... A religião e a magia caminhando de mãos dadas!

Este livro é, todo ele, uma riqueza e se gostei dos anteriores - Rainha branca e Rainha vermelha - este superou as minhas expectativas. É completamente fantástica a forma como esta escritora consegue envolver-nos nesta trama histórica e o facto de ela nos ser relatada, na primeira pessoa, pela protagonista principal - Jacquetta - torna a história ainda mais plausível e real. 

Uma personagem determinada, possuidora de um carácter forte a que as adversidades não enfraqueceram, uma mulher corajosa que luta pelo seu amor e pelo seu destino como as mulheres da época não o faziam.


Uma escrita rica, cheia de ritmo, sem momentos entediantes e uma leitura que superou as minhas expectativas!

Terminado a 19 de Março de 2012

Estrelas: 6*

Sinopse

Jacquetta é casada com o Duque de Bedford, regente inglês da França, que lhe dá a conhecer um mundo misterioso de conhecimento e de alquimia. O único amigo de Jacquetta é o escudeiro do duque, Ricardo Woodville, que está a seu lado quando a morte do duque faz dela uma viúva jovem e rica. Os dois tornam-se amantes e casam em segredo, regressando à Inglaterra para servir na corte do jovem monarca Henrique VI, onde Jacquetta vem a ser uma amiga próxima e leal da sua nova rainha. 
Depressa os Woodville conquistam uma posição no núcleo da corte de Lencastre, apesar de Jacquetta pressentir a crescente ameaça vinda do povo da Inglaterra e o perigo de rivais pretendentes ao trono. Mas nem a coragem e a lealdade dos Woodville bastam para manter no trono a Casa de Lencastre. Jacquetta luta pelo seu rei, pela sua rainha e pela sua filha Isabel, para quem prevê um futuro extraordinário e surpreendente: uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de Iorque.