Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Novidades Quinta Essência

Para Sempre, Meu Amor
de Cathy Kelly
A coragem de descobrir o que realmente importa…
As fadas madrinhas existem, mesmo nas tranquilas colinas irlandesas.
Na bonita cidade de Carrickwell vivem três mulheres cujas vidas se encontravam completamente delineadas: a ambiciosa Mel estava determinada a ter uma carreira e uma família; a atenciosa Daisy sonhava em ter um filho com o namorado, e a impetuosa Cleo queria terminar o seu curso e entrar no negócio da família.
Mas as circunstâncias mudaram e tudo se desmoronou.
Quando Leah, uma enigmática mulher a braços com os seus próprios problemas, abre o Spa Cloud’s Hill, Mel, Daisy e Cleo desenvolvem uma amizade e a coragem de descobrir o que realmente importa para elas, para sempre...


Regresso a Itália
de Elizabeth Adler
O marido de Lamour Harrington morreu há dois anos. Desde então, Lamour deixou-se absorver pelo seu trabalho de arquiteta paisagista, mas nem sequer a criação de belas «salas» exteriores consegue devolver-lhe a paz interior. Quando é confrontada com uma horrível verdade sobre o marido que adorava, Lamour percebe que precisa de um lugar onde se reconciliar com a vida. Regressa à casa na costa amalfitana onde viveu com o pai durante os anos mais felizes da sua infância. Mas a casa das suas recordações contém os seus próprios segredos e obriga-a a enfrentar novas verdades sobre outro homem que amou em pequena. A morte do pai foi mesmo acidental? Ou esconderia alguma coisa que precipitou o seu desaparecimento precoce?
Dividida entre dois homens misteriosos e irresistíveis, Lamour descobre que o passado tem formas de reaparecer quando menos se espera. E alguém quer assegurar-se que Lamour não revela os segredos daquele refúgio idílico e de sonho. Quando o passado e o presente colidem num clímax demolidor e cheio de suspense, Lamour deve encarar o que mais teme, para encontrar a coragem de viver a vida na sua plenitude.
Regresso a Itália é um romance fascinante, que nos excita os sentidos e se lê de um fôlego.


Força do Desejo
de Jess Michaels
A noiva vai tentar libertar-se de todas as suas inibições…
Ao entrar na sua sétima temporada sem namorado, Beatrice Albright começa a entender que a sua beleza não compensa a sua personalidade irritável. Na qualidade de mulher desesperada que ninguém deseja, tem de procurar um homem com quem nenhuma outra pessoa casará: o desprezado e misterioso marquês Highcroft, Gareth Berenger. Correm boatos de que ele é um assassino, mas Beatrice tem mais receio de ficar uma velha solteirona na companhia da mãe, do que da obscura reputação de Berenger.
Contudo, embora se sinta intrigado pela sedutora proposta da jovem, também ele tem uma proposta a fazer. Dotado de gostos particulares, não casará com nenhuma mulher incapaz de os satisfazer. A sua noiva tem de ser aventureira, sem medo de nada e ansiosa por experimentar todas as paixões e prazeres imaginários, por mais chocantes e proibidos que possam parecer. Se Beatrice concordar em tentar a experiência – se conseguir eliminar todas as suas inibições – os dois casarão.
Por conseguinte, os dados estão lançados enquanto Beatrice e Gareth embarcam num percurso erótico onde o perigo os espreita a cada curva, rumo a um mundo de êxtase, onde nada é proibido… nada é negado.


Segredos de Paris
de Luanne Rice
Eles pensaram que mudar-se para Paris um ano iria ajudá-los… mas deparam com novos e surpreendentes desafios. Irá o seu amor renascer ou seguirá cada um o seu caminho?
Lydie McBride sempre viveu a vida ao máximo. Mas quando uma tragédia impensável atinge a sua família tudo aquilo em que acredita se estilhaça. Michael, o seu marido arquiteto, vê a paixão desaparecer dos olhos de Lydie e do seu casamento, e espera que uma temporada de trabalho em Paris os ajude a regenerar o amor que noutros tempos parecera inatacável. Mas a Cidade das Luzes contem segredos e seduções para ambos. Enquanto Michael se dedica ao seu projeto de design no Louvre — e cai na esfera de ação de uma francesa misteriosa, sedutora —, Lydie encontra inspiração para o seu trabalho como designer de ambientes e enceta uma amizade com duas mulheres muitíssimo diferentes que a irão tornar capaz de encontrar uma nova vida. Haverá lugar para o homem com quem sempre quis partilhar essa vida… se conseguir voltar a encontrá-lo? 

Novidades Papiro Editora

Encontros de Vidas
de Angelino Pereira
Quem não deseja a felicidade? Nem sempre a vida nos sorri! É preciso procurar. Sair fora do meio e aproveitar as oportunidades, tantas vezes únicas, mas determinantes para podermos encontrar o que não conseguiríamos se não tivéssemos mudado. Francisco saiu da Luz para salvar a sua aldeia e, depois de tanto dar, salva a terra que herdou e recebe o mundo, porque as pessoas são o universo de tudo e ele encontra finalmente o paraíso, no encontro de vidas. Neste Encontros de vidas, o sétimo livro de Angelino Pereira, todos percebem que a inevitabilidade da velhice acontece porque a
natureza tem necessariamente que renovar a vida.


O Querubim Azul
de Rui G. Guedes
Ricardo Riso é engenheiro civil por parte de pai, sonhador e criativo por parte de mãe. Vive para a sua imagem, é elitista e rege-se por valores efémeros e egoístas. No entanto, uma série de acontecimentos vão fazer com que algum desânimo e frustração tomem conta de si.
Depois de um casamento falhado, desempregado e pai de um filho com deficiência, Ricardo vai viver uma vida aparentemente vazia até que um acontecimento verdadeiramente marcante, que envolve o seu filho, vai desafiar de forma ímpar a sua criatividade. 
O Querubim Azul satiriza com muito humor este nosso quotidiano onde o material e instantâneo renegam, numa ampulheta de tempo esvaecido, a verdadeira essência da humanidade.


A Raiz e o Fruto
de Lina Céu
Lina Céu, audaz na procura da sua própria identidade, consegue, por uma necessidade quase egocêntrica de se mostrar poeticamente, concentrar nos seus sonetos a sensibilidade que a vida lhe doou, essa vida que não sendo apenas dela torna a sua poesia ainda mais abrangente porque sentida por aqueles que não a conhecendo se revêem nas emoções que transmite e nos sentimentos que equaciona. Lina Céu poderá experimentar outros voos e outras experiências poéticas, mas o soneto é, para já, a suprema libertação da sua alma, pela evasão dos fantasmas que povoam o subconsciente de quem sofreu,
de quem amou e de quem enfrentou os paradigmas supérfluos e antipoéticos da frivolidade e da intolerância.

Soltas... Às vezes o mar não chega



"Depois, na mesma voz lenta, Ambrósia citou-lhe paixões, energias, percalços da vida e doenças da alma humana, pecados antigos que se herdavam sem querer e sem se saber, como ecos de culpas esquecidas. Também recomendou que não esquecesse o que acabara de ver pois a fantasia e, às vezes, mesmo a loucura não passavam de uma forma de sobrevivência. Que nem toda a gente sabia acompanhar. Ou tratar. Era isso que Amália tinha visto e era disso que Ambrósia queria que ela se lembrasse.
 - Só os afectos podem salvar o mundo e livrá-lo do sofrimento. Não te esqueças Amália. Porque tudo, na vida, vale a pena."

"Depois olhou os plátanos e sorriu, a pensar que gostaria de ser um pássaro, só para ver o mundo dos homens de muito longe."

Às vezes o mar não chega de Sofia Marrecas Ferreira


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 184
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04397-9

Gosto muito quando termino um livro e fico a saborear a história, as palavra bem escritas, as personagens presentes no meu imaginário. 

Capa perfeita, que traduz o conteúdo deste livro, bonita e apelativa. Um primeiro olhar que cativa e nos faz imaginar o interior do livro.

Um enredo que se descobre aos poucos, subtilmente, desvendando pequenos mistérios, captando a nossa atenção continuamente. 


Personagens com características fortes e diferenciados entre si, que vamos conhecendo aos poucos, conhecendo seus mistérios, apreciando a forma elegante como são descritos. 


Uma forma sublime de relatar uma história onde nomes como Pascoalina, Vitória, Violeta, Eugénia, Amália, Sebastião e Leonardo, perduram na nossa mente muito depois de lida a última página do livro. Uma escrita peculiar e envolvente. Recomendo!


Terminado em 26 de Fevereiro de 2012

Estrelas: 4*+

Sinopse


«... Ambrósia suspeitou que o seu destino e o das mulheres do Monte das Pedras estavam para sempre ligados ao do Monte do Fidalgo, embora não soubesse exatamente como. Mas era uma coisa assim, um presságio que reconhecia e que pairava no ar, no desenho das estrelas, na respiração da terra, no palpitar das searas, nas nuvens do céu, nas lágrimas que entornava e que davam de beber às rãs. Por isso, pensava que Deus a queria ali, grande como um gigante e velha como um século, para olhar pelo futuro das três irmãs e, quem sabe, para protegê-las de si próprias.»

Três irmãs apaixonadas pelo mesmo homem. Uma jovem adolescente, Amália, que tem por única companhia a sua boneca Contratempo. Uma cigana centenária, Ambrósia, que tem o coração do tamanho do mundo e é capaz de ler nas suas próprias lágrimas as pulsões mais profundas daqueles que a rodeiam.

Sofia Marrecas Ferreira transporta-nos de novo a um mundo mágico e real, reconstituindo uma saga familiar que serve de suporte a uma reflexão literária sobre o encanto e as desilusões de uma cultura ancestral - a do Alentejo.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Novidade ASA

À Procura de Alaska
de John Green

A obra conta a história de Miles Halter, um miúdo fascinado com “famosas últimas palavras” e cansado de viver no aconchego caseiro. Quando Miles vai parar a um colégio interno procurar aquilo a que o poeta François Rabelais chamava de o “Grande Talvez”, vai encontrar um outro universo do qual faz parte uma jovem chamada Alaska Young. Lindíssima, esperta, divertida, sensual, transtornada… e completamente fascinante, Alaska atrai Miles para o seu labirinto e catapulta-o para esse “Grande Talvez” tão desejado. Miles Halter não podia estar mais apaixonado por ela. Mas quando a tragédia lhe bate à porta, ele descobre o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional. Nunca mais nada será como era.
«Na escuridão atrás de mim, ela cheirava a suor, luz do sol e baunilha, e, nessa noite de pouco luar, eu pouco mais podia ver além da sua silhueta, mas, mesmo no escuro, consegui ver-lhe os olhos – esmeraldas intensas. E não era só linda, era também uma brasa.” 

Especial Dia do Pai da Editorial Presença

Novidade Casa das Letras


QUERIDA, COMPREI UM ZOO!
de BENJAMIN MEE


A história verídica de um zoo arruinado e dos duzentos animais que mudaram uma família para sempre. Nas livrarias a 5 de Março.

Sobre o Livro
Em Outubro de 2006, Benjamin Mee, com a sua mulher, Katherine, os dois filhos pequenos, a mãe de Ben, com setenta e seis anos, e o irmão venderam tudo e mudaram-se para um jardim zoológico degradado nos limites de Dartmoor.

Assumindo a responsabilidade por uma colecção incluindo leões africanos, tigres siberianos e ursos-pardos europeus, juntamente com as responsabilidades igualmente avassaladoras da gestão do pessoal e das finanças do parque, iniciam juntos o percurso por uma vida de desafios novos e recompensas inesperadas. Perseguir um jaguar foragido, exercer diplomacia entre facções desavindas de macacos-verdes, recuperar um lobo em fuga e assegurar uma hipoteca de meio milhão de libras são apenas algumas das exigentes tarefas a concretizar.

No meio de tudo, a família é atingida pela tragédia. Katherine, depois de sobreviver a um tumor cerebral, recomeça a sentir os sintomas da sua doença. Cuidar da sua mulher torna-se outra tarefa a acrescentar às complexidades quotidianas da gestão de um jardim zoológico e da preparação da sua inauguração.

Querida, Comprei Um Zoo é uma história comovente e animadora que relata os esforços da família para reconstruir o parque, em simultâneo com o declínio de Katherine, bem como os seus últimos dias e a forma como a família conseguiu seguir em frente.

Sobre o Autor


Antigo decorador, Benjamin Mee iniciou os seus estudos e a escrita sobre a inteligência animal num curso de Psicologia na University College London, seguindo-se um mestrado em Jornalismo Científico no Imperial College. Tornou-se editor da revista Men’s Health e colunista do Guardian. Mudou-se posteriormente para o Sul de França, iniciando a escrita de um livro sobre a evolução do humor no homem e nos animais. Depois, o jardim zoológico foi posto à venda e tudo mudou…

A convidada escolhe: O psicanalista




As pechinchas são uma verdadeira delícia! Sabem bem à alma e à carteira. E se a história vale a leitura então ficamos mesmo surpreendidas como aconteceu com a Carina... Os livros não deveriam ser mais baratos? Não haveria mais pessoas a comprar e a ler?



"Este livro foi uma verdadeira surpresa! Comprei-o numa feira do livro de Verão, em grande parte devido ao seu preço…5€ por um livro de capa dura com 488 páginas e com uma história que até não parecia má de todo, pareceu-me na altura um bom negócio! E ainda bem que o fiz, pois este livro acabou por ser tornar uma das mais fascinantes e emocionantes leituras de praia! Gostei tanto dele que acabei por decidir partilhar convosco este livro, já quase um ano depois de o ter lido.


A história começa de um modo que nos prende de imediato…um pacato psicanalista, com uma vida sem surpresas, e sem emoções recebe no seu aniversário uma carta que não pode ignorar. No prazo de duas semanas Starks tem de descobrir a verdadeira identidade do autor da carta e a razão da sua fúria. Se conseguir, fica livre. Se não, Rumplestiltskin destruirá, um a um, os seus parentes mais queridos, a menos que o psicanalista aceite suicidar-se.


O que inicialmente aparente ser uma partida de mau gosto, depressa demonstra ser uma realidade na qual Starks terá que lutar pela sua sobrevivência e a dos seus parentes. Numa corrida contra ao tempo para tentar descobrir a identidade deste homem mistério, seguindo as pistas que este lhe deixa, Starks vê a sua vida ser-lhe aos poucos e poucos roubada, levando-o ao total desespero…o que fazer quando o aparente controlo da nossa vida nós é tirado e nos vemos privados de tudo o que conhecemos e a que estamos habituados? Desistir ou recriar-nos? Lutar ou escolher um caminho mais fácil? Mais não digo para não vos estragar a leitura…..


Este é um livro repleto de acção, completamente impossível de largar!! As páginas voam-nos pelos dedos e só queremos saber o que vai acontecer a seguir…Mais do que um thriller, este livro faz-nos pensar na nossa vida e o que nos prende a ela. Com um fim verdadeiramente surpreendente deixa-nos com imensa vontade de ler muito, mas muito  mais deste escritor!! Altamente recomendado!!!"

Carina Bota

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Novidades Planeta

Jesus Ama-me
de David Safier
O segundo romance deste autor alemão, que se estreou na escrita com Maldita Karma, um fenómeno internacional de vendas – cinco edições em Portugal – que colocou David Safier no mais alto patamar da cena literária.
Mordaz, sábio, divertido, Jesus Ama-me, é um romance hilariante, que conta a história insólita de Marie, uma trintona que vive numa pequena aldeia alemã, com um especial talento para se apaixonar pelos homens errados. Pouco depois de deixar o noivo plantado no altar, conhece Joshua, um carpinteiro estranho, fora do comum. Joshua é um homem diferente de todos os que conheceu antes: sensível, atencioso, desinteressado. Mas, infelizmente, também não é o homem perfeito: no primeiro encontro confessa-lhe que é Jesus.
A pobre Marie pensa que de novo se apaixonou pelo homem errado, pois desta vez saiu-lhe um louco, mas quando se apercebe que de facto se apaixonou pelo Messias, sabe que também vai ter de enfrentar o fim do mundo….


A queda da Babilónia
de Montserrat Rico Gongora
A autora de A Abadia Profanada e Passageiros da Neblina estreia-se, com este livro, no romance histórico, abordando um tema bíblico-apocalíptico.
A Queda da Babilónia, pretende oferecer a visão de uma das suas mais fascinantes eras: a Renascença, mas pelas vozes e vidas turbulentas de pessoas comuns, onde são discutidas as conspirações que irão preceder a sua queda.
Desde astrólogos a adivinhos que profetizaram através do Apocalipse, a queda do Império Romano, a palavra Roma foi de novo substituído por Babilónia, conforme o apóstolo Pedro se referira à cidade pelo sofrimento dos judeus.
Em 1527, as tropas imperiais ao serviço de Carlos V invadiram a cidade, pois o imperador queria estender o seu império e Roma era a sua próxima etapa.
O romance A Queda da Babilónia oferece-nos uma viagem inesquecível a uma cidade eterna, fascinante, e mergulha-nos nas raízes de todos os seus mistérios.


O estudante de Coimbra
de Guilherme Centazzi
Foi o verdadeiro precursor do romance português, antes de Alexandre Herculano e Almeida Garrett, através da obra Carlos e Julieta, publicada em 1838.
No entanto, a grande inovação na sua escrita mostra-se com O Estudante de Coimbra (1840), publicado em três volumes, o primeiro romance português traduzido e editado no estrangeiro.
O Estudante de Coimbra mistura, de forma inovadora, romantismo com realismo, abordando com uma faceta quase picaresca, a vida de um universitário que se envolve nas Guerras Liberais. Embora alguns traços do protagonista deste romance denotem traços biográficos, a parte mais substancial do enredo é, sem margem para dúvidas, uma ficção.
Apesar de ignorado pelas elites da época – e estando ausente de estudos sobre literatura portuguesa –, O Estudante de Coimbra foi traduzido em 1844, na Alemanha, e recebeu uma extensa recensão de mais de uma dezena de páginas
pelo conceituado crítico escocês Thomas Carlyle no Fraser's Magazine em 1848.

Novidades ASA

Crónica de paixões e caprichos
de Julia Quinn
Enfastiado com a vida no reluzente Vazio e incapaz de continuar a suportar as discussões entre o tio Deva e a tia Penélope, o Senhor d decide divertir-se um pouco e criar o tempo, o espaço e a matéria. E, entusiasmado, não pára. A seguir vêm as estrelas, os planetas, a matéria animada, a consciência e, por fim, os seres inteligentes com dilemas morais. Uma obra que cruza ficção, ciência, teologia e filosofia moral, numa celebração da natureza trágico-cómica da existência.




És o Meu Segredo
de Tiago Rebelo
Rute Madeira e a sua irmã Filipa conheceram, na adolescência, Tomás Arruda durante umas inesquecíveis férias de Verão em Pedras d’el Rei. As memórias dessas férias perdurariam mesmo depois de Tomás rumar a Londres e se ter transformado num famoso actor de cinema. És o Meu Segredo traz-nos a densidade emocional a que Tiago Rebelo já nos habituou. A vida das personagens, marcada por impasses, encantos e desenganos, apela às insondáveis questões do amor e aos misteriosos enredos da mente.
Um romance psicológico que nos prende de início e nos confirma que a vida vale a pena ser vivida apesar das pedras que surgem pelo caminho.


Os Primeiros casos de Poirot
de Agatha Christie 
Hercule Poirot assume-se orgulhosamente como o melhor detetive do mundo. Mas será que o seu génio se evidenciou logo no início da sua carreira? O dedicado capitão Hastings leva-nos numa viagem no tempo e revive os primeiros casos que ajudaram a cimentar a reputação profissional do seu amigo Poirot. É que a perspicácia com que o detetive consegue resolver até os mais complicados enigmas é espantosa. De roubos e assaltos a raptos e homicídios, estes fascinantes casos testam ao limite aquelas que virão a ficar mundialmente conhecidas como as "celulazinhas cinzentas" de Poirot.





As Novas meninas dos chocolates 
de Annie Murray
Na sua juventude, Edie, Ruby e Janet partilhavam sonhos enquanto se dedicavam à deliciosa tarefa de fazer chocolates na famosa fábrica Cadbury, em Inglaterra. Duas décadas depois, o mundo está radicalmente diferente e as vidas das amigas também. Agora, a geração seguinte está a crescer e a enfrentar os seus próprios desafios. Greta, a filha da temperamental Ruby, é tão bela quanto infeliz. A sua vida familiar foi sempre instável, o que a levou a procurar refúgio junto das suas amigas, na fábrica de chocolates Cadbury, onde também trabalha. Mas tudo vai piorar com o regresso da sua detestável irmã, Maureen. E assim, enquanto Inglaterra vive a euforia da louca década de 1960, Greta precipita-se para um casamento que rapidamente destruirá os seus sonhos românticos. 


Senhor D 
de Alan Lightman
"Se bem me lembro, tinha acabado de acordar de uma pequena sesta quando decidi criar o universo." Assim começa o divertido e profundo romance de Alan Lightman: a história da Criação do Universo, narrada por Deus. Enfastiado com a vida no reluzente Vazio e incapaz de continuar a suportar as discussões entre o tio Deva e a tia Penélope, o Senhor d decide divertir-se um pouco e criar o tempo, o espaço e a matéria. E, entusiasmado, não pára. A seguir vêm as estrelas, os planetas, a matéria animada, a consciência e, por fim, os seres inteligentes com dilemas morais. Mas mesmo os melhores planos podem ter consequências imprevistas e o Senhor d depressa descobre que a sua criação do espaço e do tempo gera também um diabólico rival, o misterioso Belhor.

Novidade Clube do Autor!


Sinopse

A quebra abrupta de produção de café no Nordeste brasileiro estava a arrastar os fazendeiros para a
derrocada financeira. Na tentativa de solucionar o problema da falta de remessas, o Rei D. Luís convida o
Dr. Bragança para o cargo de cônsul de Portugal no Brasil dando ao seu cortesão a oportunidade de ouro
de escapar a uma eventual pena de prisão por crime de adultério. Mas como se o destino reservasse uma
armadilha ao novo diplomata, a amante viaja para Petrópolis na companhia do marido continuando ali a
sua relação escaldante com o cônsul. Alertado para a traição contínua de sua esposa, D. João Frutuoso, o
magnata mais poderoso do Reino, banqueiro da Casa Real e da Coroa Brasileira, prepara uma emboscada
ao diplomata, não só para o afastar dos braços de Leonor, mas também para poder exercer livremente o
seu poder sobre os negros da roça  e a sua vocação esclavagista. Um golpe inesperado dita a sorte dos amantes envolvidos nas malhas do destino.
Um envolvente romance de amor proibido, ódio e poder, numa época de mudanças políticas e sociais no Brasil, a abolição da escravatura e a implantação da República.

Sobre o autor


Flávio Capuleto, pseudónimo literário de Flávio Luís de Jesus Costa, nasceu no concelho de Oliveira de Azeméis, distrito de Aveiro, a 29 de Novembro de 1942. A sua  paixão pelos livros manifestou-se cedo, levando-o a publicar diversos romances, edições de autor, que vendeu directamente ao público. Ganhou
também a vida como vendedor de colecções de literatura universal.
Conheceu a amarga experiência da Guerra Colonial, sendo-lhe concedida a Medalha Comemorativa das Campanhas do Norte de Angola. De regresso da campanha militar, prosseguiu os estudos como autodidacta, sem nunca perder de vista o seu sonho: tornar-se escritor.
No Calor dos Trópicos é o seu primeiro romance histórico.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Ao Domingo com... Sara Farinha


"Aquilo que me amedronta hoje, amanhã não é nada. Olho para trás e vejo os anos e as histórias que criei e nunca me atrevi a ter esperança que elas vissem a luz do dia. E assim que decidi embarcar nesta viagem atribulada, decidi não apressar aquilo que precisa de ser apreendido para ser concretizado.

Todas aquelas coisas inerentes a uma vida de textos públicos, seja através de livros ou blogues, assustavam-me tremendamente. Ao contrário de todos aqueles que foram largamente elogiados ao longo da vida pelas suas capacidades de escrita, as minhas têm sido algo… ignoradas.
Desde histórias consideradas “pesadas” demais para a minha idade, a poemas escondidos nos testes escolares, até letras de músicas sem música para acompanhar, as minhas histórias mais extensas reúnem um pouco deste pouco que é muito, que é meu e de mais ninguém.

Muito me falta aprender e é com esses pequenos passos, por vezes medidos ao milímetro, que o vou fazendo. Se me aproximar devagar talvez não me assuste. Posso ter medo, mas terei a coragem para o superar desde que o caminho seja natural. Não poSara Farinhasso apressarsso apressarsso apressarsso apressar aquilo que naturalmente irá surgir, com trabalho, perseverança, esperança e amor.

Aquilo que desejo que saibam sobre mim? “Percepção, uma estranha realidade” é o meu primeiro livro publicado. Não é a minha primeira história, não é o primeiro conjunto de letras e frases compostas, é uma das histórias que decidi contar e que, por vontade própria e com ajuda de outros viu a luz do dia.

Uma história que se formou não em meses mas em anos, nascendo duma ideia recorrente, de temas diários e da minha paixão pelos conhecimentos menos convencionais. A sua concretização não está perfeita (isto dito pela perfeccionista exagerada que sou), mas a sua criação foi tão natural para mim como acordar numa manhã de Domingo.

Algumas outras histórias estão guardadas, assim como o desejo de experimentar textos e contextos diferentes. Continuo a aprender, a escrever, a experimentar, a comunicar. Continuo a escrever em Português, em Inglês, em géneros literários distintos, à procura da minha voz literária e do meu espaço neste mundo das letras. Acredito que a sinceridade e o esforço irão “falar” por mim, pela minha veia de autora, pelas histórias que quero contar e pelos sentimentos que desejo partilhar.
Porque nada disto é só para mim, tudo se reflecte e alastra pelos outros. E é a alegria, o orgulho, os desejos e medos que me impelem a escrever e a partilhar o que escrevo. Sou uma apaixonada por livros, por cidades grandes, pela natureza, por passeios culturais, por música, pelos amigos com quem divido os meus dramas e a minha felicidade, pela autenticidade, sinceridade e pela paixão. Pois nada é melhor do que aquilo que é natural.

Podem acompanhar-me nesta viagem no meu blogue http://sarinhafarinha.wordpress.com/ e adicionar-me numa das redes sociais que menciono na minha página de Contactos.

Espero que gostem de “Percepção, uma estranha realidade”. Um romance. Uma fantasia urbana. Uma história sobrenatural."


Sara Farinha

Passatempo: "Percepção, uma estranha realidade"

Para acompanhar a rubrica Ao Domingo com..., como sucede frequentemente, temos um passatempo, desta vez apoiado pela escritora do livro "Percepção", Sara Farinha.


Assim, O tempo entre os meus livros irá sortear um exemplar deste livro, autografado, a todos os seus seguidores. Basta responder acertadamente às questões que se seguem e ter em atenção que só é permitida uma participação por email/residência e para moradas em Portugal. O blog não se responsabiliza por qualquer extravio do livro aquando do seu envio.

O passatempo termina dia 3 de Março.

Boa sorte!


Resultado do passatempo: "Não fomos nós dois"


Este passatempo foi realizado com a colaboração do autor Tiago Gonçalves. O vencedor, escolhido aleatoriamente pelo Random.Org, que irá receber um exemplar autografado de Não fomos nós dois, é:


- Pedro Serra do Bombarral


Muitos parabéns! Agradeço a todos os 194 participantes.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

O sol da minha vida de Catherine Anderson


Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 384
Editor: Arcádia
ISBN: 9789892800585
Coleção: Arcádia - Romance

Às vezes há capas que atraem, outras há que viramos os olhos para o lado... Esta é uma delas e se não fossem algumas opiniões positivas que li, este livro, que gostei bastante de ler, tinha-me passado ao lado!


Eu vejo o livro como um todo e a capa é algo que os nossos olhos reparam em primeiro lugar... A personagem principal tem olhos cor de avelã. Mesmo iguais aos da capa, não?


É um romance daqueles em que tudo acaba bem e que se espera de antemão esse final mas a sua leitura consegue envolver-nos, trazendo aspectos novos que desconhecemos, obrigando-nos a pesquisar sobre um problema de saúde - a afasia - que uma das personagens principais padece.


De leitura agradável, este livro lê-se num ápice pois o enredo está cheio de peripécias, algumas delas passadas numa clínica veterinária. Os animais são uma constante e a ligação que se estabelece entre eles e os seus donos está bem patente em todo o livro. 


Gostei!

Terminado em 24 de Fevereiro de 2012

Estrelas: 4*

Sinopse

Quando Isaiah contratou Laura não estava à espera de uma tão grande lufada de ar fresco. Impressionado pelo seu toque - e assombrado pela sua beleza -Isaiah apaixona-se. E move o céu e a terra para lhe demonstrar que ela é a mulher que ele mais precisa- a única que conseguirá trazer o sol para a sua vida.

A invenção de Hugo - O filme

Já foram ver? Não? Então não percam. 


Fui na quarta passada, ou melhor fomos todos cá de casa - somos cinco - e dei por bem empregue o tempo e o dinheiro que gastei. 


Um livro que é um filme e um filme que dá gosto ver. Claro que há pormenores diferentes e inclusivé uma personagem do livro que não chega a existir no filme, mas no compto geral é muito bom! 


Não fui ver em 3D pois saio de lá com dores de cabeça e se calhar perdi algo com isso, mas mesmo assim passámos duas horas vidrados no écran!


Gostei muito tanto do livro como do filme!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Resultado do passatempo: "Raposas inocentes"


E chegados ao fim de mais um passatempo aqui n'O tempo entre os meus livros, que teve a colaboração da Editorial Presença, cabe-me informar que desta vez o Sr. Random.Org escolheu um seguidor do sexo masculino! A sorte calhou a:


 - Luís Miguel Costa e Silva de Lisboa.



Muitos Parabéns!
Agradeço a participação dos 291 participantes!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Novidade da Revista LER

15/25 leva «Ler» à estrada


No ano em que a revista Ler celebra 25 anos, criou a secção 15/25, quatro páginas que publicam os melhores trabalhos em texto, ilustração e fotografia, enviados por leitores entre os 15 e os 25 anos – ou seja, nascidos com a Ler ou nos dez anos seguintes. A adesão à iniciativa 15/25 superou as melhores expectativas e a Ler avança com uma «Volta a Portugal 15/25». Todos os meses, durante dois dias, escritores e colaboradores da revista visitarão escolas e bibliotecas do país para divulgar estas novas páginas da revista. A primeira paragem é já amanhã, na Póvoa de Varzim, no âmbito do XIII Correntes d'Escritas, promovido pela Câmara Municipal daquela cidade. João Pombeiro e José Mário Silva participarão em duas sessões nas escolas: quinta-feira, dia 23, às 15h15, na Escola Secundária Rocha Peixoto; e sexta-feira, dia 24, às 13h30, na Escola Secundária Eça de Queirós.

Novidade Oficina do Livro

O BAIRRO
De Carlos Ademar


PVP 14,90 eur
348 págs.                                                      

Um lugar onde a realidade ultrapassa a ficção.
Um romance policial baseado numa história verídica, passada na Cova da Moura.

Sobre o Livro


Manuel Sousa, agente da PSP, é assassinado num bairro às portas de Lisboa. A Polícia Judiciária está a começar a investigação quando é surpreendida pela notícia da morte de mais dois agentes. Quase ao mesmo tempo, um traficante de droga é deixado sem vida no Serviço de Urgência de um hospital. O que têm em comum estes factos? O bairro.
O país fala destes casos, os jornais e as televisões fazem eco das preocupações sociais, a hierarquia policial e a tutela política exigem respostas aos investigadores. O chefe Barata, a pouco tempo de se reformar, encara este caso como o seu derradeiro desafio.
O Bairro, baseado numa história verídica, é o retrato intenso de um mundo onde o crime e a honestidade convivem diariamente, onde prolifera o sentimento de abandono a que foi votado quem ali cresceu, para onde foi viver quem não tinha alternativa e onde é real a coragem de suportar o estigma de um nome. Mais do que um romance, O Bairro é a metáfora de tantos vulcões existentes em redor das grandes cidades contemporâneas, cuja eventual erupção todos temos o dever de evitar.

Sobre o Autor


Carlos Ademar nasceu em Vinhais, em 1960. Em 1987, entrou para a Polícia Judiciária, onde exerceu durante quase duas décadas a actividade de investigador criminal na Secção de Homicídios.

Colaborou na investigação de alguns dos mais célebres crimes ocorridos na Grande Lisboa, como os que ficaram conhecidos pelos nomes de "Skinheads" e "O Estripador". Actualmente é professor na Escola de Polícia Judiciária.

Licenciado em História, o gosto pela escrita acompanha-o desde sempre. É autor das obras O Caso da Rua Direita, O Homem da Carbonária, Estranha Forma de Vida, Memórias de um assassino romântico e Primavera Adiada, editadas pela Oficina do Livro. O Bairro é o seu sexto romance.

A convidada escolhe: A soma dos dias

Isabel Allende não precisa de apresentações e os seus livros têm lugar cativo na minha estante. Ainda não li "A soma dos dias", mas, se dúvidas restassem, a opinião da Ana é convincente o suficiente para sentir que estou em falta com esta escritora por não ter pegado neste livro, tanto mais que fico encantada com o seu modo de narrar os aspectos por ela vividos. 


“Tu gostarias que essas memórias fossem publicadas, porque poderiam consolar outras pessoas das suas perdas e sofrimentos (…)”

Depois de estar alguns minutos a olhar, na minha estante, os livros que já li, decidi escolher este: A Soma dos Dias de Isabel Allende. Li-o, a primeira vez, em Abril de 2009, um mês depoido meu pai ter falecido. Foi um livro que me marcou bastante, mas que também me ajudou muito naquela altura da minha vida, talvez por isso mo tenham oferecido.

Neste livro, Isabel Allende, escreve como que uma carta à sua falecida filha Paula, a contar-lhe tudo o que se passou após a sua morte. Na sua narrativa, ela descreve pormenorizadamente tudo o que se passou desde Dezembro de 1992. Refere-se à sua família como “ a sua tribo” da qual fazem parte o seu marido Willie, os filhos deste, o seu filho Nico, os seus netos, Alejandro, Andrea e Nicole, a sua cunhada Célia, Ernesto, viúvo de Paula e Panchita, sua mãe.

Com uma escrita simples e directa, onde estão impressas emoções tão fortes como contraditórias. Ao longo da leitura conseguimos sentir a dor de quem perdeu a sua filha, de quem viu a sua filha definhar até não aguentar mais. A emoção e alegria de poder ter os netos e vê-los crescer. Viver a sua relação com Willie e a força que ambos tiveram para enfrentar as situações que a vida lhes trouxe.

Isabel narra-nos também, ao longo deste livro, o processo pelo qual passou para fazer o luto de sua filha. Nesse processo dedicou-se, para além da família, aos livros. Mas não a lê-los, a escrevê-los. Fala-nos dos seus momentos de inspiração, dos seus momentos em branco, do importante que foi ter a “sua tribo” a seu lado a apoiá-la na decisão de escrever sobre todos eles.

Um livro que nos faz sorrir, ao sentir o amor que existe naquela família, o amor pelos netos, o amor ao tentar adoptar Sabrina, neta de Willie, pois Jennifer, sua mãe, não pode ficar com ela devido às drogas que consome. Um livro que me fez escorrer muitas lágrimas, pois mostra-nos que o luto não é fácil, que todos temos que o fazer, mas que todos o fazemos de modo diferente. Foi magnifico ler, naquelas páginas, a sua preocupação com os netos, as perguntas do pequeno Alejandro sobre a tia que partiu, e a forma como também a criança passou pela perda de um ente querido.

Um livro cheio de memórias, de recordações, que a autora escreveu provavelmente com o intuito de a ajudar a ultrapassar o que dizem ser a maior dor que se tem na vida, mas também como um incentivo a todos nós leitores, pois um dia, teremos que nos enlutar por alguém.

Um livro fascinante, que nos faz palpitar o coração desde a primeira à última página. Um livro que, sem duvida aconselho, e que de certeza irei ler vezes sem conta. Um livro de eleição. O primeiro que li da autora, mas que me fez querer ler mais, nomeadamente o Paula. Muito bom/Excelente."

Ana Margarida

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Resultado do Passatempo "1000 a bombar"

Eis o resultado do passatempo "Mil a bombar"
Os vencedores, de acordo com a ordem de chegada dos emails, são:

1 - Odete Silva de Quinta do Anjo, vai receber "Labirinto de nós" da Editora Alfarroba

50 - Joana Passão de Vila Real, vai receber "Um erro inconfessável" da Editora Planeta

75 - Cassilda Almeida de Castro Daire, vai receber "Crime no hotel" da Chiado Editora

100 - Sara Paredes de Agualva-Cacém, vai receber "Dolci di Love" da Editorial Presença

150 - Maria João Medeiro de S. Miguel - Açores, vai receber "Na Calada da Noite" da Papiro Editora

200 - Isabel Silva de Mindelo, vai receber "Anjo de Cristal" da Alphabetum Editora


O prémio especial pela frase mais original sobre o blogue, vai para Maria João Diogo de Massamá, que nos enviou a seguinte verso:


O mundo dos livros é fantástico!

T ransporta-nos para outras dimensões
E nsina-nos e preenche-nos coração e mente.
M as acima de tudo...
P ermite a partilha de emoções!
O tempo mais bem aproveitado é, seguramente...

ENTRE OS MEUS LIVROS!




Muitos parabéns e obrigada pelas vossas 244 participações!

A História da Rapariga Bonita de Rachel Simon


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 344
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722523981

Gosto muito quando chego ao final de um livro e leio as notas do autor, explicando quais os factores que o levaram a escrever a história. Muitos deles são histórias verídicas que marcaram profundamente o escritor e é a partir delas que o enredo é elaborado. Porque às vezes, quando lemos um livro algumas situações sentimos como verdadeiras mas queremos comprovar a sua autenticidade.

Foi isso que aconteceu com este belíssimo livro. Uma história impressionante, baseada em pequenas outras histórias também elas de arrepiar. Na sua capa, o autor de Marley e eu, John Grogan faz-nos um desafio que eu subscrevo na sua totalidade e vos coloco aqui: "Desafio-vos a lerem as primeiras 20 páginas e a não continuarem."

As personagens estão de tal forma bem construídas que nos sentimos no seu interior : uma rapariga/mulher com algum grau de deficiência que o abandono e os maus tratos numa escola levam ao seu isolamento interior, deixando inclusivé de falar; um surdo que, por não saber comunicar, constrói um mundo só seu e do qual nos vamos apercebendo; uma professora reformada que toma uma decisão que a leva a alterar a sua vida totalmente, uma decisão tomada sem pensar mas que lhe trás alegrias e medos que a fazem crescer como pessoa.

Tomamos conhecimento da existência de instituições/escolas para os deficientes e os excluídos da sociedade, dos horrores por lá passados, da inexistência de higiene e de condições mínimas de vida. Relatos impressionantes que sentimos verdadeiros.

A história passa-se entre 1968 e 2011. Uma vida para reunir vidas, unidas pelo amor.

Um livro a reter e a ler obrigatoriamente!

Terminado em 21 de Fevereiro de 2012

Estrelas: 5*+

Sinopse

Estamos em 1968. Lynnie, uma jovem branca com um atraso do desenvolvimento, e Homan, um afro-americano surdo, vivem encerrados e esquecidos numa instituição. Profundamente apaixonados um pelo outro, fogem e refugiam-se na quinta de Martha, uma professora reformada, agora viúva. Mas o casal não está sozinho: Lynnie acabou de dar à luz uma menina. Quando as autoridades os encontram nessa mesma noite, Homan consegue fugir, mas Lynnie é apanhada. Mas antes de ser levada à força para a instituição, consegue sussurrar a Martha estas palavras: «Esconda-a.» E é assim que tem início a viagem épica de Lynnie, Homan, Martha e Julia, o bebé, separados por obstáculos aparentemente incontornáveis mas que hão de vir a reunir-se por força de um pacto secreto e de um amor extraordinário.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A convidada escolhe: Expiação

Este livro (ainda) não o li. Já o tive nas mãos mas larguei-o. Há livros que nos marcam e este foi um dos que queria mesmo ler mas não consegui. Um dia, mais tarde, quem sabe? Fiquei com a sensação que era daqueles que deveria ter insistido...

"Não foi há muitos anos que descobri Ian McEwan. Neste momento posso dizer que já li quase todos os livros deste magnifico autor.

Quando leio os seus livros normalmente marco páginas e volto a reler certas passagens, porque são de tal forma belas, inteligentes e bem escritas, que gosto de aprofundar o seu significado. Não é um autor que se goste de imediato da sua escrita, leva o seu tempo mas vale a pena.

“Expiação” foi um livro que me marcou especialmente, pela forma brilhante com que o autor descreve a infância, o amor, o antes e o início da II Guerra Mundial.

É um livro notável, inteligente, profundo, brilhante. "No dia mais quente do Verão de 1935, Briony Tallis de 13 anos, vê a irmã Cecília despir-se e mergulhar na fonte que existe no jardim da sua casa. Esta é também observada por Robbie Turner, um amigo de infância que, à semelhança de Cecília, voltou há pouco tempo de Cambridge. Depois desse dia, a vida das três personagens terá mudado para sempre. Robbie e Cecilia terão ultrapassado uma fronteira que, à partida, nem sequer imaginavam e tornar-se-ão vítimas da imaginação da irmã mais nova. Briony terá presenciado mistérios e cometido um crime que procurará expiar ao longo de toda a sua vida".

Ler "Expiação" fez-me ter plena consciência de quão grave e negativo é fazer-se
julgamentos precipitados. No fundo é um livro "sobre a culpa, amor, perdão e arrependimento".

A história gira em torno de uma criança de 13 anos que por ignorância e também por egoísmo consegue destruir a vida da sua irmã e do rapaz que ama.
Através de uma imagem que ela cria na sua própria mente e o facto de acreditar cada vez mais na sua imaginação e no gesto irreflectido que teve, isso leva a cometer um crime que mudará para sempre as vidas de três pessoas, e que no fundo nunca mais serão as mesmas.

Ela própria anos mais tarde, vai tentar expiar o crime que cometeu.

"Era da irmã que tinha saudades - ou mais precisamente da irmã com Robbie. Do amor deles". "Pensou.....não era apenas uma carta, mas uma nova versão, uma expiação, e estava pronta para começar".

As personagens são magistralmente bem descritas ao longo do livro, e isso faz com que a pessoa que o está a ler se sinta envolvida nos seus sentimentos, e que se questione o que poderia ter sido diferente se Briony não tivesse visto a irmã naquele dia?

O autor conseguiu de tal maneira que eu ficasse muitas vezes emocionada, indignada, revoltada, e ao mesmo tempo com uma ansiedade premente em saber como iria terminar esta história de amor, ódio, medo e principalmente de arrependimento.

Não consigo fazer jus à escrita de Ian McEwan pois é uma história magnifica.

É um romance lindíssimo. Leiam-no!"

Odete Silva

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A invenção de Hugo Cabret de Brian Selznick


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 544
Editor: Edições Gailivro
ISBN: 9789895575626
Coleção: 1001 Mundos

Sentei-me para a leitura deste livro e fiz o que na 1ª página ele recomenda: imaginei-me sentada na escuridão à espera do início de um filme. Foi realmente um conselho fenomenal, como fenomenal deve ser também o filme, que espero ver muito em breve.

Foi a primeira vez que uma leitura demorou o mesmo tempo do que aquele que vou passar ao ver o filme. Eu explico: a leitura deste livro, de capa preta e grossa, é acompanhada por muitas páginas desenhadas a preto e branco que avançam na acção e que nos levam a lê-lo de uma forma muito rápida e visual.

Um livro feito como se fosse um filme. Desenhos belíssimos e muito expressivos, levam o leitor a desejar comparar o livro ao filme que agora estreou nas salas do cinema! Espero não me desiludir com a tela mágica, como acontece frequentemente depois de ter lido um livro primeiro... Desta vez, pelas imagens que me foram dadas a ver - numa sala belíssima, a Sala do Rei, na Estação de Stª Apolónia - acho que não!

A história encanta quem a lê. Para todas as idades. Muito apropriado para os jovens que gostam pouco desta "coisa" maravilhosa que é a leitura!

Vejam o trailer:



Terminado em 18 de Fevereiro de 2012

Estrelas: 5*

Sinopse

Órfão, guardião dos relógios e ladrão, Hugo vive por entre as paredes de uma movimentada estação de comboios parisiense, onde a sua sobrevivência depende de segredos e do anonimato. Mas quando, repentinamente, o seu mundo se encaixa - tal como as rodas dentadas dos relógios que vigia - com o de uma excêntrica rapariga amante de livros e o de um velho amargo, dono de uma lojinha de brinquedos, a vida secreta de Hugo e o seu segredo mais precioso são colocados em risco. Um desenho misterioso, um bloco que vale ouro, uma chave roubada, um homem mecânico e uma mensagem escondida do falecido pai de Hugo formam a espinha dorsal deste intrincado, terno e arrebatador mistério.

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para o 7º, 8º e 9º anos de escolaridade, destinado a leitura autónoma.