Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A convidada escolhe: Tudo o que tenho trago comigo

Está na estante. Escolhi-o porque tinha de o ler e foi ficando esquecido... Deste mês não passa! Mesmo!



"Este livro foi dos que mais me custou a ler em toda a minha vida!

Abandonei-o numa primeira leitura, mas ficou na minha cabeça, persistente como que pedindo para não ser esquecido... cedi e voltei a pegar-lhe, li-o a custo, poucas páginas por dia.

Classifiquei-o com 5 estrelas, não porque o adorei ou porque me foi agradável a sua leitura. Esta classificação deve-se ao facto de ter sido maravilhosamente escrito, atrevendo-me mesmo a dizer que tem uma "Prosa Poética", mas é também um livro difícil, triste escuro...e por isso tão sofrido.

Relata a história dos deportados Romenos/Alemães, para os Campos de trabalho Soviéticos, após a Segunda Grande Guerra Mundial. Uma parte da História pouco conhecida...um verdadeiro inferno de fome e miséria.

Não encontrei neste livro uma única página que descreva felicidade e por isso mesmo foi tão custoso de ler.

Herta Muller, prémio Nobel da Literatura em 2009 escreveu, o livro "Tudo o que eu tenho trago comigo" parcialmente em parceria com um sobrevivente desses campos de trabalho."

Marília Gonçalves

3 comentários:

  1. Da autora, apenas li Terras das Ameixas Verdes, também é um livro muito triste, uma história muito dura, mas infelizmente real.
    Além de ter gostado muito, concordo que a escrita da autora não é muito acessível. As palavras são muito duras, mas poderiam ser outras?

    ResponderEliminar
  2. Já tentei ler Herta Muller,mas não consegui, quem sabe daqui a uns anos,gostei da opinião da Marilia e concordo não é uma autora fácil.

    ResponderEliminar
  3. Ainda não peguei neste... até estou com medo, mas é dos obrigatórios, pelo menos para mim que gosto muito de ler sobre o assunto!

    ResponderEliminar