Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A convidada escolhe: Os Idealistas

Mais um... para saltar da estante! Como é que se consegue ter imensos "primeiros" livros da pilha para ler? Por qual optar?

"Ás vezes acontece-me ficar atraída pela capa de um livro sem saber porquê... Foi o que se passou com o livro "Os Idealistas"! Primeiro gostei da capa, e logo de seguida a sinopse. E não me enganei, em três dias fiquei absorvida na sua leitura, pois agarra-nos logo nas primeiras páginas.

É um romance frontal, irónico, que nos conta um drama familiar, em que tudo se desmorona quando o pai sofre um AVC e entra em coma. Todos na família tem que lidar com esta situação, cada um à sua maneira.

A autora consegue descrever magistralmente cada personagem, como reage à dor, às decepções da vida, mas sem ser melodramática, deprimente, ou sentimental. Sendo de um realismo fora do comum chega a chocar pois as personagens são muito fortes (principalmente a mãe), marcantes, muito reais.

Vamos entrando na vida de cada uma a pouco e pouco, vendo a sua reacção enquanto segredos são desvendados, sentindo as suas emoções, que por vezes deixam-nos tristes, porque são histórias de vida que podiam ser a de qualquer pessoa... Mas é isso mesmo que faz com que seja um livro magnifico!

Audrey, mãe e esposa, acredita no seu casamento de 40 anos com Joel e no seu amor. Ela é uma pessoa completamente despegada de sentimentos em relação às filhas, excepto em relação ao "filho".  É uma mulher desagradável, dura, fria, mal educada, não se importando de dizer a verdade "nua e crua" seja a quem for, por mais que as choque.

Karla, a filha que vive um casamento infeliz, passa a vida à espera de um carinho ou atenção da parte de mãe, o que não consegue.

Rosa, a outra filha, consegue encontrar-se na religião, e por isso torna-se uma pessoa de convicções religiosas no judaísmo ortodoxo.

Lenny escolhe as drogas.

Ao longo do livro vamos conhecendo o que pensam uns dos outros, como convivem, ou como se toleram. Não existem momentos parados nesta leitura, lemos cada capítulo querendo sempre mais. Gostei muito da escrita da autora, conseguiu surpreender-me, pelo facto de ser tão real, fiquei com uma vontade enorme de ler o outro livro de Zoë Heller " Diário de Um Escândalo"."

Odete Silva

2 comentários:

  1. Margarida Rodrigues (Ana)19 de janeiro de 2012 às 18:27

    Adorei! fiquei com imensa vontade de ler este livro. Mais um haha. por este andar vou ter que comprar uma estante nova:D Parabens*

    ResponderEliminar
  2. Descreveu tão bem este livro que me convenceu. legal teu blog. Acho que vou tbém Ler este livro, vc é igual a autora do livro, vou dizer mais uma vez me convenceu.

    ResponderEliminar