Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A convidada escolhe: Inês da minha alma

Desta feita calhou à minha amiga Odete e ela escolheu uma das suas escritoras preferidas. A Odete já leu "tudo quanto é livro!", como muitas vezes digo a mim mesma...
Daí que se quiserem uma opinião, perguntem-lhe, pois se ela ainda não leu, vão ver que o livro está na Wish List dela, lol! 


"Sou muito suspeita em relação a Isabel Allende por ser uma das minhas escritoras de eleição, e fiquei super fã desde a "Casa dos Espíritos", "Filha da Fortuna" e "Retrato a Sépia"... Já li todos os livros editados em Portugal.

Gostaria mais de falar dos livros em geral de Isabel Allende do que propriamente de um só, porque Allende é muito descritiva quer com as suas personagens, quer em tudo o que as envolva como o ambiente, por exemplo. Daí que não é uma leitura fácil, mas sim um bocado complicada para quem não esteja habituado.


Mais uma vez Isabel Allende não me decepcionou neste romance épico com a sua personagem Inés Suárez. "Inés da minha alma" é  um  livro fantástico, magnífico, e conta-nos a história de uma jovem mulher costureira da Estremadura Espanhola que parte para a América à procura do seu marido e para escapar à vida claustrofóbica da sua terra. É uma mulher bastante forte, aventureira, cheia de conflitos, desejos, paixão e amor.

Como em quase todos dos livros de Allende, este consegue misturar o fantástico com o real, o misticismo religioso dos conquistadores/invasores Espanhóis, e uma história de amor com a história de um país e de um continente.

Todo o sofrimento das mulheres no século XVI está bem patente neste livro, tudo era vedado às mulheres neste século e é precisamente isso o que esta personagem quer viver: as aventuras que não podia ter.


E também vamos, ao longo do livro, confirmando a realidade que era viver naqueles tempos devido à violência e à crueldade de um momento histórico no Chile.


Mudamos de página sempre querendo ler mais e mais sobre o que se vai passar a seguir. Simplesmente delicioso de se ler... como todos os seus livros!"


Odete Silva

5 comentários:

  1. De Isabel Allende li apenas Filha da Fortuna e na leitura me pareceu respirar um pouco de Gabriel Garcia Marques, sem todo o realismo fantástico daquele, mas com o mesmo "aroma" de América Latina.

    Vou buscar mais livros desta escritora... :o)

    Abraços
    Fefa Rodrigues

    ResponderEliminar
  2. Muito bem Odete! Ainda não li este da Isabel Allende mas vou certamente ler! É que depois da tua crítica não se fica indiferente a este livro!!

    ResponderEliminar
  3. Também gosto muito da Isabel Allende mas este ainda não li. Parece bastante interessante:)

    ResponderEliminar
  4. Gosto mto dos livros de Isabel Allende. São, mtos deles, autobiográficos. Uma vida em cheio escritos de uma forma maravilhosa!

    ResponderEliminar
  5. A apreciação da Odete Silva a este livro coincide muito com a minha. É difícil ficar-se indiferente à escrita e à sensibilidade de Isabel Allende. Almerinda Bento

    ResponderEliminar