Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A convidada escolhe: A casa dos amores impossíveis

Aqui está outra opinião de uma convidada - amiga! - que já me fez alterar um livro da pilha dos "to be read"  e colocá-lo em 1º lugar. Este vai certamente sair da prateleira, directo para a mesinha de cabeceira!

"Iniciei a leitura deste livro com enorme expectativa devido às excelentes críticas que li sobre o mesmo e, para minha grande satisfação, essa expectativa não saiu gorada!

A história (que tentarei não contar!!!) acompanha a vida das mulheres da família Laguna, que carregam uma maldição terrível, que se traduz em sofrer por amor e dar à luz filhas que sucessivamente sofrem a mesma maldição. Histórias sucedem-se dentro da história principal, com um encanto mágico e delicioso.

No entanto, não é uma narrativa fácil e leve, pelo contrário, tem momentos em que é até muito rude e dura. A violência, o ódio, a crueldade, o sofrimento e a morte, mas também, o amor, a amizade, a paixão e o erotismo estão patentes na narrativa, cruzando-se duma forma elegante e espantosa.

As mulheres Laguna, são personagens riquissímas e fascinantes, cada uma
ao seu estilo, tornando dificíl a escolha da minha favorita. Surpreendentemente, a última dá à luz não a já esperada filha mas sim um rapaz, reviravolta interessante que nos leva logo a pensar no fim da maldição! Ou não....

Tal como seria de esperar duma saga familiar, também aqui a história atravessa várias épocas e a ficção cruza-se com a História fazendo alusão a alguns factos históricos de Espanha.

Acabada a leitura deste livro, que demorou 2 dias, durante os quais tive de refrear a vontade de o acabar rapidamente, a história ficou a “pairar” na memória algum tempo, ao ponto de dificultar a leitura do livro subsequente. Fiquei de ressaca, como costumo dizer!

Numa escala de 1 a 10, atribuiria, sem margem para dúvida, um 10!

É um imperdível!"

Teresa Carvalho

Sem comentários:

Enviar um comentário