Gosta deste blog? Então siga-me...

Indique o seu email para receber actualizações

Também estamos no Facebook e Twitter

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tanta intriga!


Rainha por Nove Dias – Lady Joana

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 464
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722518963



Inglaterra, 1550. Richard, segundo filho de uma família de camponeses, vai trabalhar para a família Gray, familiares do rei Eduardo.


É através dos seus olhos que somos catapultados para uma série de intrigas palacianas entre católicos e reformistas, caçadas reais... A sua ascenção rápida no seio da família para quem servia, deu-se paralelamente com o aumento de poder do seu amo, mulher e filhas.

Vivemos de perto um problema de sucessão e das alterações das alianças protectoras que a acompanham. Vivemos, também uma realidade da época, o casamento imposto como união de interesses, onde o amor não é tido em consideração. E digo vivemos porque este romance histórico tem o condão de nos fazer participar nesta história de amores e ódios...

A proximidade e lealdade de Richard para com Jane, fá-lo presenciar a sua coroação - apenas por nove dias - e os factos que lhe sucederam. Os momentos que antecedem a sua execução impedem-nos de nos mantermos indiferentes...

"Rainha por nove dias".Vale a pena ler este livro! Mesmo!


Terminado em 30 de Julho de 2010

Estrelas: 5, sem sombra de dúvida!

Sinopse

Em sinal de gratidão pelo salvamento das filhas Catherine, Mary e Jane, o poderoso Henry Grey contrata Richard para a sua propriedade. Enquanto vive um apaixonado romance com Lady Catherine, Richard conhece e aproxima-se de Lady Jane Grey. Numa época violenta e conturbada, cria-se entre os dois um laço que nem o destino conseguirá romper.
"Rainha por nove dias" é, simultaneamente um poderoso thriller histórico e uma comovente história de amor.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Soltas...

"À medida que vamos envelhecendo começamos a perceber (...) que a vida é um bem precioso, e que de vez em quando vale a pena refrear os cavalos, passar do galope ao passo, para recuperar o fôlego, para apreciar as vistas e para cheirar o perfume das flores do caminho. E quanto mais o fazemos mais apercebemos que as montanhas da nossa vida não são mais do que colinas, e os abismos apenas vales estreitos cujas vertentes podem ser escaladas com tempo e persistência."

"Quando somos jovens é como se o tempo não tivesse fim. A linha horizontal da vida parece tão longa, ilimitada, que não importa se malbaratamos o tempo e tentamos dar o passo seguinte, seja ele qual for, sem meditar nas consequências nem nos determos para saborear o momento.(...) Todos os dias saltamos dos píncaros da exaltação para o lamaçal do desespero, e de novo para cima."

"Via-os (...) a tecer intrigas, a murmurar o ouvido uns dos outros. Não querem saber da vida de ninguém. Tudo quando lhes interessa são os jogos de poder, a política e a recompensa que receberão se as suas tramas forem bem sucedidas."

"(...)fizemos um pacto: enquanto o momento durasse havíamos de aproveitá-lo o mais possível. Para construir memórias."

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Soltas...

"As pessoas nunca aprendem com a história, pois não? Continuamos a cometer os mesmos erros que os nossos pais e avós cometeram. Pensamos que iremos fazer do mundo um lugar melhor e, contudo, destruímo-lo aos poucos."

"Se olhares com persistência suficiente, vais encontrar beleza e luz nos lugares mais feios e tenebrosos."

"O amor nunca foi tão bom!"

No interior do passado


Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 384
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722519564
Colecção: Grandes Romances



Pois! Nas primeiras vinte/trinta folhas pensei: "Não acredito que não vou acabar outro livro de novo!!!" Achei-o algo superficial e algumas partes quase promíscuo até.


Insisti um pouco... De um momento para o outro estava em Itália, envolvida numa história com muito mistério! É o encontro de Alba com o passado que envolveu seus pais e sua família.

Nas últimas cem páginas não consegui largar este romance, queria saber mais, impossível fechar o livro! O final é como a vida, um pouco desconcertante, nada previsivel e, por isso mesmo, real.
Gostei muito!

Terminado em 26 de Julho de 2010

Estrelas: 4

Sinopse


Após o final da Segunda Guerra Mundial, um aristocrata excêntrico é assassinado no seu palazzo italiano. Vinte anos mais tarde, este crime por resolver toca a vida de Alba, uma rapariga que vive num barco em Chelsea, na década de 1960. Entre estas duas épocas estende-se uma narrativa de amor, decadência e traição que conduz Alba até à costa de Amalfi, ao drama da guerra e à decadência da tragédia. O passado ressurge, revelando uma teia secreta de resistentes e nazis, de camponeses e condes e, no centro de tudo, uma fascinante e misteriosa mulher - a sua mãe.

Alba não irá investigar apenas um homicídio: investiga igualmente uma verdade proibida, e o que descobre no passado é doloroso, mas é a porta para o seu próprio futuro.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Soltas...

"Não desistas, minha querida. Sei que pensas que pensas que não vale apenas viver, mas eu juro-te que as coisas melhoram, mesmo que nunca fiquem mais fáceis. E vale a pena. Por muito que estejas a sofrer agora, a vida vale sempre a pena. Um dia, perceberás isso; basta experimentares."

"(...) trocaram um olhar. O de duas mulheres que tinham em comum a consciência do que é ser mãe: a alegria e o sofrimento, o assombro que nunca passa, o peso terrível da responsabilidade que acarreta e a consciência de que, a qualquer momento, pode acabar."

"Assuntos domésticos"



Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 416
Editor: Contraponto
ISBN: 9789896660130



Como já referi antes, o que eu gosto mais num livro é o facto de ele me poder transportar não só para histórias diferentes daquelas que vivo ou conheço, mas também, para outros lugares reais e outras culturas, onde as personagens poderiam ser verídicas ou existiram mesmo.


Gostei deste romance. Está bem escrito, não é monótono, as personagens possuem "vida" própria, cativam e o factor surpresa mantém-se moderadamente em todo o livro.

Mas...não "entrei" completamente na história, senti que nada foi acrescentado ao meu saber... Faz sentido o que estou a dizer? Esta opinião tem mais a ver com os meus gostos pessoais do que com o próprio livro.No final acaba tudo bem... Às vezes, a vida não é assim, pois não?

É leve, aconselho a leitura para quem queira ler algo só pela história em si.


Terminado em 23 de Julho de 2010

Estrelas: 2*

Sinopse

Abigail e Lila são duas amigas de infância que se separam quando a mãe de Abigail, governanta da família abastada de Lila, é expulsa da casa, afastando a filha do único lar que alguma vez conheceu. Agora, passados vinte e cinco anos, Abigail é uma figura conceituada no mundo televisivo, tendo vencido por mérito próprio. Em contrapartida, Lila - que durante décadas levou uma vida esplendorosa nos meandros da alta sociedade de Park Avenue - sofre um trágico revés, perdendo toda a sua fortuna. Sem um tostão e completamente inapta para trabalhar, Lila vai ao encontro de Abigail para lhe implorar um emprego, e esta arranja-lho: como sua governanta. A vingança, porém, não é tão doce como Abigail imaginara... Nesta arrebatadora história emocional, o destino junta mulheres muito diferentes que são obrigadas a unirse para se salvarem umas às outras… e a si próprias.


domingo, 18 de julho de 2010

Soltas...

"Nenhuma vida é um desperdício. Os únicos momentos que desperdiçamos são aqueles que gastamos a pensar que estamos sozinhos."

"Às vezes quando sacrificamos uma coisa preciosa não a perdemos realmente. Estamos só a passá-la a outra pessoa."

"(...)o segredo do céu: que cada pessoa afecta outra e essa outra afecta outra ainda, e que o mundo está cheio de histórias, mas as histórias são todas uma só."

Cinco estrelas


Edição/reimpressão: 2004
Páginas: 168
Editor: Pergaminho
ISBN: 9789727115877
Colecção: Linhas Cruzadas



Este livro é um doce!

Um rebuçado de um dia só. Lê-se num instante porque é pequeno mas, também e sobretudo. porque, nas primeiras páginas, a história penetra em nós... e, ao avançarmos, o título (que parece um pouco palerma) começa a fazer sentido e a dar sentido ao livro.

Eddie tem 82 anos e morre. Assim! Sem mais, logo no princípio desta história e vai para um lugar: o céu. Parece simples e vulgar? Não, de todo! O enredo mistura o passado com o presente, as pessoas que passaram na sua vida, conhecidos e desconhecidos que a marcaram, determinando-a mesmo que ele não tenha dado por isso.

Vai descobrindo e conhecendo o significado da sua vida passada: "é isso que é o céu, o lugar onde fazemos que o nosso ontem faça sentido". É confrontado com factos que lhe eram desconhecidos, que justificavam alguns comportamentos das pessoas que, em vida, o rodearam. Vai, inclusivé, aprendendo a perdoar: "A raiva é um veneno. Devora-te por dentro. Pensamos que o ódio é uma arma que ataca a pessoa que nos fez mal. Mas o ódio é uma lâmina curva. E o mal que infligimos, infligimo-lo a nós próprios."

O final é espectacular! Claro que não vou contar, não é isso que se pretende, pois não? Comove e é de uma beleza... Este livro é mesmo um doce!

Terminado em 18 de Julho de 2010

Estrelas: 5, indubitavelmente

Sinopse


A Editora Pergaminho tem o prazer de juntar à sua colecção Linhas Cruzadas um dos best-sellers mais aguardados para 2004. Publicado nos EUA em Outubro de 2003, tem ocupado os primeiros lugares dos tops de vendas desde então.
“Esta é a fábula que lemos de uma assentada quando nos apaixonamos. É o conto que temos sempre à mão quando nos sentimos perdidos. É a história que queremos escutar vezes sem conta, pois tem aquela capacidade rara e mágica de nos dar a ver a nós próprios e ao mundo a uma nova luz. Este livro é um presente para a alma.” Amy Tan

sábado, 17 de julho de 2010

Não deu...


Pois! Às vezes é melhor não forçar a leitura... muitas da vezes o livro está bem escrito mas há qualquer coisa na história ou em nós mesmos que faz com que não "pegue", não ficamos "dentro" dela... Ao fim de 30 páginas resolvi desistir. Pode ser que noutra altura, noutro lugar ou noutro momento da vida retome a leitura deste livro. Hoje não!

Leitura não terminada

Estrelas: 1

Sinopse


Já tinha sido um dos finalistas ao Grande Prémio de Ficção da APE, e acaba de receber o Prémio Literário José Saramago, atribuído pela Fundação Círculo de Leitores, um prémio para uma obra de ficção de um autor da área da lusofonia com menos de 35 anos, e com o valor pecuniário de 5000 contos.
José Luís Peixoto foi uma das revelações do ano passado e publicou, até à data, três livros: "Morreste-me", "Nenhum Olhar" e, acabado de sair, um livro de poesia, "A Criança em Ruínas". "Nenhum Olhar" será publicado ainda este ano em Espanha e em Itália.

"José Luís Peixoto tem essa qualidade notável: bastam duas linhas, e entramos num continente novo, num lugar inédito do espaço literário. Depois, resta saber até que ponto isto vai ser possível sustentar-se ou desenvolver-se. E neste romance o leitor pode estar certo de que a partir da segunda ou terceira sequência ficamos seguros de que a inclinação é fatal: vamos embater num limite, num muro, num enigma, na origem do mundo e no desastre final, num empolgamento incontrolável dos seres, das palavras, dos sinais, das paisagens, das situações, numa altíssima conjura a que não podemos escapar." Eduardo Prado Coelho, Público "Leituras"

Dentro de nós...

Este é um livro de contrastes, de cheiros intensos e penetrantes onde os nossos sentidos ficam mais aguçados... Estamos na Índia! Hernán, o protagonista desta história, um homem bem sucedido, chega a Deli à procura de "paz interior", paz que vem do ser e não do ter...


Mas, nesta cidade, é confrontado com o que vai ser o seu primeiro choque: "se uma coisa não havia naquele lugar era pressa". Cidade repleta de gente que luta pela sua sobrevivência, que nada possui materialmente mas que sorri com o coração. "Aquele homem não possuía nada, eu tinha acumulado muito mais do que seria capaz de gastar, eu tinha estribado a minha vida em todo o tipo de seguros, apólices e reformas; aquele homem não ia a parte nenhuma porque já estava onde queria estar, eu tinha passado a vida a estar em todo o lado sem estar em nenhum."

Livro de encontros entre dois mundos distintos, foi-me por vezes difícil entender completamente o significado de algumas passagens: o Ocidente, a cultura da pressa e do ter, versus o Oriente, a cultura da infinita paciência e do ser. "Se você dispusesse de cem vidas também não teria pressa em resolver todos os problemas durante esta".

O protagonista passa por diversos estados de espírito que passam da euforia ao abatimento, vai-se despojando das suas ideias e teorias aos poucos e vai conseguindo enriquecer interiormente com as dificuldades que vai encontrando. "O problema não está em desejar melhores condições de vida (...), o problema reside em que quando se alcançou esse nível, em vez de se tentar alcançar outros (o psicológico, o espiritual, o da relação com os outros), a pessoa pára nesse nível material (...) e empenha-se em continuar a acumular cada vez mais."

Este foi um dos ensinamentos do seu mestre:
"(...) deverás espargir afecto onde quer que estejas ou vás."

Gostei muito, vale a pena ler este livro.

Terminado em 16 de Julho de 2010

Estrelas: 4*

Sinopse


Suresh era faquir, porque se submetia à proeza de superar a dor. Mas era também funâmbulo, já que era um mestre na arte de andar na corda bamba, proeza que requer uma cuidadosa atenção e um perfeito sentido de equilíbrio... Elementos tão necessários para percorrer o caminho da vida!
Hernán, o protagonista deste romance, converte-se no seu discípulo depois de voar para a Índia em busca da sua essência espiritual e de uma nova escala de valores, onde empreende uma viagem ímpar pelo interior desse país, pródigo em mistérios milenares e sabedorias sublimes.
Ao longo do percurso recebe lições de mestres yoguis, conhece uma bela mulher de ascendência inglesa que está apaixonada pelas tradições autóctones e, finalmente, encontra o Faquir, cujos ensinamentos o vão marcar profundamente. Nunca mais voltará a ser o mesmo. Com o seu guia aprende a desligar-se dos invólucros físico, mental e espiritual, que arrastava como um pesado lastro na sua vida anterior.
Uma história feita de revelações que nos orientam para o real significado da vida. Nunca ninguém transmitiu com tanto realismo as vicissitudes de uma iniciação mística.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

A escriba de António Garrido

"Ler! É disso que gosto! Sempre que posso, aproveito para ler e, quando o faço, julgo viajar para outros países, conhecer outras línguas ou viver outras vidas"- diz Theresa. Ela é uma das poucas jovens que sabe ler e escrever, por volta do ano 799, na Alemanha e vê-se envolvida numa série de acontecimentos que se relacionam com um manuscrito famoso, verídico, a "Doação de Constantino".

O livro denota uma pesquisa elaborada dos costumes e factos da época e não foram poucas as vezes que me confrontei com palavras para as quais não sabia o significado...Daí que seria interessante que, no final do livro, existisse um pequeno glossário!

Gostei muito desta leitura, achei-a muito envolvente.O final precipitou-se um pouco demais, já que se desenvolve nas últimas páginas muito rapidamente... ou talvez eu quisesse continuar com a leitura mais um pouco...

Terminado em 13 de Julho de 2010

Estrelas: 4*

Sinopse



Alemanha, ano 799. Carlos Magno, em vésperas de ser coroado imperador do Ocidente, encarrega Gorgias, um ilustre escriba bizantino, da tradução de um documento de vital importância para o futuro da Cristandade. O trabalho deverá ser executado no mais absoluto segredo. Entretanto, Theresa, filha de Gorgias e aprendiz de escriba, é falsamente acusada de um crime e procura refúgio na cidade alemã de Fulda, perdendo o contacto com o pai. Aí, conhecerá Alcuino de York, um frade britânico que investiga uma terrível epidemia que assola a população. Quando Theresa é informada do desaparecimento misterioso de Gorgias, ela e Alcuino embarcam numa aventura inquietante para o encontrar e infiltram-se numa teia conspirativa de ambição, poder e morte, em que nada nem ninguém é o que parece e da qual depende o futuro do mundo ocidental.
Combinando o rigor histórico com uma prosa de ritmo trepidante, este romance de Antonio Garrido conduz o leitor por cidades, claustros e abadias medievais, num thriller apaixonante inspirado em factos reais.

domingo, 11 de julho de 2010

Uma pequena-grande flor


Chega-se ao fim deste livro com satisfação. Não por termos terminado o livro, mas por termos lido um livro (baseado num facto histórico) muito bem construído, de uma imensa imaginação e muito agradável de ler.

Não me interpretem mal, mas foi com muita satisfação que terminei este livro!!!!


Terminado em Novembro de 2009

Estrelas: 5*


Sinopse

Entre a História e a actualidade, os mistérios do amor e da morte.
"A Flor do Sal" fala-nos da construção de um livro sobre um marinheiro do século XV e sobre o episódio de que ele foi protagonista.
Esse pescador de Cascais, Afonso Sanches (que efectivamente existiu), mais tarde baleeiro e por fim piloto de uma expedição que buscava a Índia a Ocidente, chegou casualmente às costas da América em 1481 (onze anos antes de Colombo) e disso deu notícia ao rei D. João II. Porém, o rei pediu-lhe silêncio sobre o seu achamento, por estar em vias de elaboração o Tratado de Tordesilhas.
Mais de quinhentos anos depois, uma escritora aproveita este facto histórico para elaborar a sua própria ficção – e a sua história cruza-se com a de Afonso Sanches, num romance sobre os mistérios da criatividade, do amor e da morte.
"A Flor do Sal" vem confirmar a maturidade literária de Rosa Lobato de Faria e impô-la como um nome incontornável da nossa mais moderna ficção.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Nunca me esqueças de Lesley Pearse


Parecia um romance cor-de-rosa... mas o "baseado numa história verídica" fez-me comprar o livro. Fiquei surpreendida, muito mesmo! Não tem nada de romance "pink", bem pelo contrário...

Somos transportados para a Austrália, no tempo das deportações, de viagens de barco cheias de perigos e doenças... Muito bom!

Terminado em 2009

Estrelas: 5*

Sinopse

Até onde iria por amor?
Num dia…
Com um gesto apenas…
A vida de Mary mudou para sempre.
Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary - filha de humildes pescadores da Cornualha - traçou o seu destino ao roubar um chapéu.
O seu castigo: a forca.
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo.
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.
Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse - a rainha do romance inglês - apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faz-nos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.

Pequena homenagem...



Esta é uma pequeníssima homenagem que faço à coragem, à força de vontade, à alegria e à amizade. Vejam o blogue!

Terminado em 2008

Estrelas: 5*

Sinopse


Outubro de 2007. Após meses de insuportáveis dores de cabeça, tonturas e outros sintomas, SVS vai (arrastado por um amigo) ao médico e são-lhe diagnosticados cancros em estado muito avançado no cérebro e nos pulmões. Veredicto clínico: três semanas de vida e, se a radioterapia intensa a que se iria submeter de imediato resultasse em pleno, seis meses, no máximo.
Na impossibilidade de comunicar com os milhares de pessoas com quem se relaciona, SVS criou um blogue onde diariamente passou a dar conhecimento sobre o ponto de situação da sua doença.
A forma incrivelmente positiva com que se empenhou na luta pela sua cura e a forma como a foi descrevendo no blogue salvadorvazdasilva.blogspot.com, fez com que este se tornasse rapidamente num enorme fenómeno de popularidade, extravasando em muito o alargado universo dos seus familiares e amigos.
Passados seis meses, e perante o espanto dos médicos que para tal não encontram explicações científicas, SVS escreveu o último post no seu blogue, no qual confirmou a erradicação total dos vários tumores cerebrais e pulmonares que lhe ameaçaram decisivamente a vida.
Para trás ficaram seis meses de um diário feito na base de cerca de 200 posts e milhares de comentários, transmitidos num original blogue que passou a ser espontâneamente conhecido por Catedral. Um blogue - agora um livro - que é um diário de uma fantástica luta, transformada numa verdadeira lição de esperança e fé para todos os que se encontram perante as maiores adversidades da vida.
O valor de direitos de autor, acrescidos de uma parte da receita de vendas da Prime Books, reverterão integralmente a favor do IPO. Prefácio da cantora Mariza.

Cometa brilhante


Entre a sua consciência e uma ordem dada por Salazar, Aristides optou pela primeira, aquela que lhe trazia paz de espírito, salvando, assim, milhares de pessoas que se queriam refugiar em Portugal e pondo a sua vida em perigo e a da sua família. Deveria ser mais lembrado e conhecido, este homem, que face ao perigo, conseguiu pensar nos outros e no bem que poderia proporcionar...

Terminado em Novembro de 2009

Estrelas: 4*

Sinopse

Há pessoas que passam no mundo como cometas brilhantes, e as suas existências nunca serão esquecidas. Aristides de Sousa Mendes foi uma dessas pessoas. Cônsul brilhante, marido feliz, pai orgulhoso, teve a sua vida destruída quando, para salvar 30.000 vidas, ousou desafiar as ordens de Salazar.
Cônsul em Bordéus durante a Segunda Guerra, é procurado por milhares de refugiados para quem um visto para Portugal é a única salvação. Sem ele, morrerão às mãos dos alemães. Infelizmente, Salazar, adivinhando as enchentes nos consulados portugueses, proibira a concessão de vistos a estrangeiros de nacionalidade indefinida e judeus.
Sob os bombardeamentos alemães, espremido entre as ameaças de Salazar, as súplicas dos refugiados e sua consciência, Aristides sente-se enlouquecer. E então toma a grande decisão da sua vida: passar vistos a todos quantos os pedirem. Salvará 30.000 inocentes mas destruirá irremediavelmente a sua vida.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Uma viagem...

Tenho andado a postar leituras que fiz e que me recordo melhor...aquelas que dei uma classificação mais elevada! Gosto especialmente dos livros que me transportam para outros lugares e outras épocas, aqueles que me "mostram" outros costumes, formas diferentes de viver e encarar a vida. Este foi um deles.Gostei!

Terminado em Março/2010

Estrelas: 4*

Sinopse


Desde as terras campestres da Rússia até à inóspita pampa argentina povoada de índios, uma menina de doze anos, abandonada pelos pais, deverá empreender a sua missão mais importante: viver.

A extraordinária vida de Olga começa na faustosa Rússia dos últimos czares Romanov, quando, com somente doze anos, a sua família decide abandonar o seu país, deixando para trás tudo o que tinha, inclusivamente uma das suas irmãs. Começa então uma grande viagem que os levará a Inglaterra e Canadá, antes de chegarem à longínqua e desconhecida Argentina, onde a família se separará definitivamente.

Ali, a pequena Olga começará uma nova vida plena de dificuldades, que enfrentará da melhor maneira possível. Terá de ultrapassar novas separações e notícias infelizes, duas guerras mundiais que a atingirão profundamente, mas também conhecerá o amor e iniciará a sua própria família, reencontrará pessoas que julgara desaparecidas e trabalhará nas suas próprias terras na pampa argentina.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Por mais um dia


O nunca desistir, o caminhar todos os dias mais um pouco, o fazer o possível e o impossível, o amar sem limites, o ser-se mãe afinal...

Terminado em Fevereiro/ 2010

Estrelas: 5*

Sinopse

Quando Jamie e Nuala Gardner escolheram um cachorrinho para o filho Dale, não eram uma família como qualquer outra à procura de um animal de estimação. O autismo de Dale era tão profundo que o mais pequeno desvio à sua rotina podia provocar-lhe um assustador acesso de fúria. A vida familiar fora praticamente devastada pela sua doença e os Gardner passavam a maior parte do tempo a tentar entrar no mundo autista do filho e dar-lhe o auxílio de que ele tanto precisava.
Porém, depois de anos de esforços constantes e progressos lentos, as suas vidas transformaram-se ao acolherem um novo membro na família, Henry, um cachorrinho golden retriever lindíssimo. Os laços criados entre Dale e o seu cão ajudaram finalmente os pais deste menino a atingir o objectivo quase milagroso que tanto haviam procurado e a proporcionar-lhe uma vida preenchida e feliz.

Nunca te perdi

Quanto mais nos aproximamos do final mais envolvidas ficamos com a história e não conseguimos abandonar o livro.


Leiam!

Terminado em Março/2010

Estrelas: 5*

Sinopse


Milla Edge mudou-se recentemente para o México, onde o seu marido David, foi colocado como médico. A vida deles é um sonho. Acabaram de ter o primeiro filho, e estão tremendamente apaixonados. Ambos se deliciam com a nova vida, e Milla está no auge do seu brilho maternal quando lhe roubam o bebé Justin das suas próprias mãos.
Uma década mais tarde, Milla é uma mulher diferente. O casamento há muito que terminou e a sua vida é totalmente dedicada à Organização Não Governamental que lidera: Finders. À caça de criminosos, ela percorre os lugares mais desoladores do mundo à procura de crianças raptadas (incluíndo o seu filho que nunca aceitou perder). Dois homens cruzam o seu caminho: True Gallagher, um dos grandes mecenas da sua instituição, e Diaz um perigoso mercenário, tão interessante como misterioso.
Quanto mais Milla se aproxima das respostas, maiores são os perigos que enfrenta. E ninguém brinca com os cabecilhas das redes de tráfico infantil.

sábado, 3 de julho de 2010

Rosinha


Este não foi o primeiro livro que li de Rosa Lobato de Faria. Os seus livros têm o condão de me surpreender e de desejar ter sido eu a autora...é um pouquinho de inveja, confesso! Era uma pessoa que desejava ter conhecido pessoalmente, possuidora de uma imaginação sem limites e senhora de uma escrita inconfundível. Muito, muito bom!

Terminado em Novembro de 2009

Estrelas: 5*

Sinopse

Entre a História e a actualidade, os mistérios do amor e da morte.
"A Flor do Sal" fala-nos da construção de um livro sobre um marinheiro do século XV e sobre o episódio de que ele foi protagonista.
Esse pescador de Cascais, Afonso Sanches (que efectivamente existiu), mais tarde baleeiro e por fim piloto de uma expedição que buscava a Índia a Ocidente, chegou casualmente às costas da América em 1481 (onze anos antes de Colombo) e disso deu notícia ao rei D. João II. Porém, o rei pediu-lhe silêncio sobre o seu achamento, por estar em vias de elaboração o Tratado de Tordesilhas.
Mais de quinhentos anos depois, uma escritora aproveita este facto histórico para elaborar a sua própria ficção – e a sua história cruza-se com a de Afonso Sanches, num romance sobre os mistérios da criatividade, do amor e da morte.
"A Flor do Sal" vem confirmar a maturidade literária de Rosa Lobato de Faria e impô-la como um nome incontornável da nossa mais moderna ficção.

Voando sobre uma guerra

Numa guerra ficamos sem palavras! Tanto sofrimento, tanto ódio, tanta dor... E se muitos adultos são apanhados no meio dos conflitos sem justificação de qualquer espécie, então as crianças...Não há, em guerra alguma, nenhuma palavra que a justifique!

Terminado em 25/Abril/2010

Estrelas: 4

Sinopse

Belamente escrito, envolvente, profundamente comovente, Voando sobre Bagdad dá-nos uma visão nova e genuína da guerra do Iraque e dos seus terríveis custos humanos.
Zahra, de 3 anos, e Hawra, uma bebé de meses, foram as únicas sobreviventes de um raide aéreo sobre Bagdad, em 2003. Os pais e os cinco irmãos morreram todos.
Não conseguindo cumprir o sonho de ter filhos, Hala Jaber, uma correspondente estrangeira premiada, está determinada a fazer tudo o que puder para as ajudar. Enviada pelo Sunday Times para cobrir a guerra no Iraque, a última coisa que esperava era ver-se a tentar salvar duas rapariguinhas que tinham perdido tudo. Mas os acontecimentos posteriores dizem-nos muito mais acerca do conflito do que qualquer boletim noticioso. Além disso, como libanesa e muçulmana, mais do que colaboradora de um jornal londrino, Hala está numa posição privilegiada para confrontar dois mundos muito diferentes e tentar explicar um ao outro.

"Desaparecida"


De certeza que, quem é mãe ou pai, já se perguntou: "e se o meu filho desaparecesse?" E a angústia cresce... mas nem por um momento conseguimos imaginar "como seria se". Este livro está bem construído, o enredo envolve-nos de tal forma que, mesmo sem querermos, vemos-nos dentro da história e partilhamos dos sentimentos daquela mãe. Bom!

Terminado em 2/Maio/2010

Estrelas: 5

Sinopse

Tudo começou com uma brincadeira de crianças…
Quem é que nunca jogou às escondidas? Quem nunca sentiu o entusiasmo de encontrar alguém no seu esconderijo perfeito?
Poppy está a brincar com a mãe, Mel. Poppy tem sete anos e a sua vida acabou de mudar radicalmente: tem um novo padrasto, um novo irmão, uma nova casa… A menina esconde-se e a mãe procura-a. Mas o tempo passa e ela não aparece. A polícia é chamada. À hora do desaparecimento, testemunhas viram um carro a afastar-se do local. Um carro familiar. Ao volante ia Si, o homem com quem Mel está casada há apenas um ano. Para a polícia é uma luta contra o tempo. Para Mel, cujo mundo foi virado do avesso, é uma questão de vida ou morte.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O menino, o cavalo e o pai


Uma história verídica contada por um pai que tudo faz para que o seu filho tenha uma vida de qualidade e que "comunique" com os outros o mais possível, também e sobretudo com a ajuda de um cavalo. Consegue.

Terminado em Agosto/ 2009

Estrelas: 5

Sinopse

Rupert Isaacson tinha sonhado o melhor para o filho, imaginava as brincadeiras, as conversas, os passeios... Depois de Rowan nascer, porém, começou a perceber que o seu sonho nunca se iria realizar. O menino não falava, não reagia, refugiava-se no seu mundo, fechado numa concha invisível. Era autista. O Menino e o Cavalo é a história real, extraordinária, de um pai que vai até aos confins do mundo para curar o filho. É a aventura de uma família única, que arrisca tudo, movida por uma fé inabalável. E que, nas distantes estepes da Mongólia, consegue finalmente o milagre de abrir a concha, e entrar no mundo misterioso de Rowan.

Nascer especial


Há pessoas especiais. Às vezes a própria vida torna-as assim, porque elas crescem,crescem por dentro,é claro! Outras vezes, nasce-se especial. Mas, mesmo assim, é preciso crescer, por dentro, é claro! É o caso de Daniel Tammet, com síndroma de Asperger (uma forma de autismo).

Terminado em 2009

Estrelas: 4

Sinopse

Por dentro da extraordinária mente de um autista savant.
Uma viagem - guiada pelo próprio - ao interior de uma das mais fascinantes mentes dos dias de hoje. Daniel Tammet tem a Síndroma de Savant, uma forma extremamente rara da síndroma de Asperger (autismo de alto funcionamento), que lhe concede poderes mentais quase inimagináveis, muito semelhantes aos retratados por Dustin Hoffman, no filme "Encontro de Irmãos" (Rain Man).
Daniel vê os números como formas, cores e texturas e consegue realizar extraordinários cálculos mentais em poucos segundos. Em 2004, memorizou e recitou mais de 22 000 dígitos de pi, estabelecendo um novo recorde. É também um linguista de génio: fala 7 línguas e aprendeu o islandês numa semana.
Mas é virtualmente um caso único entre as pessoas com distúrbios autistas graves, visto que, não só não está isolado do mundo e é capaz de levar uma vida completamente independente mas, sobretudo, consegue explicar o que acontece dentro da sua cabeça.
Nascido num Dia Azul é uma história exemplar de sucesso, que começa na pequena infância, quando Daniel era incapaz de fazer amigos e era gozado pelos outros, até à idade de jovem adulto, em que aprendeu já a controlar-se e a viver de forma independente, se apaixonou, experimentou uma conversão religiosa ao cristianismo e, mais recentemente, se tornou uma celebridade.

"Eu não era capaz!"


Vale a pena ler estes dois livros...Já os li há algum tempo e lembro-me que o confronto entre duas culturas tão diferentes se vai tornando cada vez mais intenso! Enquanto lia, um pensamento martelava na minha cabeça: "eu não era capaz!"
Mulher de coragem esta que abdica dos seus costumes mais básicos em nome do amor."Eu não era capaz!"
Até um dia...
Vale a pena ler.

Terminado em 2008

Estrelas: 4